Companhia de teatro Radar 360 leva ao Brasil peça "Histórias Suspensas"

A peça "Histórias Suspensas", da Companhia de Matosinhos Radar 360º, vai ser exibida no âmbito do festival itinerante Sesc de Artes, que vai estar em 120 cidades do estado brasileiro de São Paulo, de 06 a 22 de abril.

"Histórias Suspensas", uma coprodução do Teatro Maria Matos e da Companhia de Matosinhos Radar 360º, é uma peça de teatro que se desenrola numa espécie de casa ou armário que guarda segredos, e onde se vão revelando histórias dentro de outras histórias.

Ora são essas histórias contadas numa peça cenográfica tridimensional que vai andar em digressão no Brasil, no âmbito do "Circuito Sesc de Artes", de 06 a 22 de abril, informa em comunicado de imprensa a companhia de teatro de Matosinhos.

A peça, cujo público-alvo são famílias e crianças a partir dos quatro anos, vai passar por 120 cidades do estado de São Paulo, designadamente por Bragança Paulista, Boa Esperança do Sul, Bertioga, Cravinhos, Guarujá, Ilha Solteira, Ibitinga, Araras, Jacarei, Novo Horizonte e Adamantina, entre outras.

O Circuito Sesc de Artes, cujo lema é "arte de rua para todos", apresenta espetáculos de circo, dança, música e teatro, assim como exibe também filmes e desenvolve oficinas de literatura, artes visuais, tecnologias e artes em espaços públicos.

Os espetáculos são gratuitos.

O Sesc São Paulo é uma entidade com mais de 70 anos de existência, mantida e administrada por empresários dos setores do comércio de bens, serviços e turismo, lê-se na página da Internet da organização do certame.

O objetivo é promover o bem-estar social, o desenvolvimento cultural e a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores desses setores e da comunidade em geral.

Com direção artística da coreógrafa Joana Providência e António Oliveira, Filipe Caco e Julieta Rodrigues, na interpretação (ambos são também cocriadores), e peça portuguesa "Histórias Suspensas" contou na cenografia com os arquitetos Gonçalo Dias e Ângela Frias.

A Companhia Radar 360º é uma associação cultural que iniciou o seu percurso oficial em 2005.

A ocupação da área pública, a aproximação das manifestações artísticas às pessoas e a utilização de espaços não convencionais para a apresentação de espetáculos são lugares preferenciais daquela companhia, que tem sede em Matosinhos, no distrito do Porto.

Exclusivos