COMENTÁRIO: Vitória de Setúbal e Belenenses empatam no fecho da jornada 21

Vitória de Setúbal, em vantagem numérica mais de 20 minutos, e Belenenses empataram hoje a zero, no jogo que encerrou, no Estádio do Bonfim, a 21.ª jornada da I Liga de futebol.

Os sadinos, que somaram o décimo jogo no campeonato sem vencer, jogaram desde os 67 minutos em superioridade numérica devido à expulsão de Sasso. Apesar do revés, o conjunto lisboeta conseguiu segurar o nulo e deixar o Bonfim com um ponto na bagagem.

Uma semana depois de terem perdido com o Moreirense em Setúbal, o conjunto lisboeta regressou ao estádio que lhe tinha servido de casa emprestada há uma semana, desta vez para defrontar o Vitória, clube que, antes da partida, estava apenas um ponto acima dos lugares de despromoção.

Com o reforço de janeiro Tiago Castro a estrear-se no onze, os sadinos, muito pressionados pela necessidade de ganhar, entraram nervosos no jogo, cometendo vários erros e sentindo dificuldades em segurar a bola nos primeiros 15 minutos.

Mais esclarecido e organizado, o Belenenses conseguiu ser a primeira equipa a chegar com perigo à baliza contrária. Aos 11 minutos, um mau atraso de Nuno Valente proporcionou a Licá um remate perigoso que pôs à prova a atenção do guarda-redes Cristiano.

Aos 20 minutos, o médio Nuno Valente tentou redimir-se da falha cometida momentos antes. Um 'tiro' do meio da rua, a cerca de 25 metros da baliza, só não deu golo devido a uma defesa de Muriel, que voou para evitar o primeiro tento da partida.

Ainda mais perto de desfazer o nulo, ficou o Belenenses, aos 32 minutos, quando Diogo Viana fugiu pelo flanco esquerdo e rematou à barra da baliza num lance em que os defesas Mano e Vasco Fernandes não foram lestos a tirar a bola da zona de perigo.

Numa partida de muita luta, mas sem grandes momentos de futebol, o Vitória de Setúbal, mais uma vez num remate de fora da área, ficou perto de marcar no derradeiro lance da primeira parte. Jhonder Cádiz, decorria o minuto 45+1, disparou um 'míssil' que passou ao lado do poste direito da baliza de Muriel.

Após o intervalo, os anfitriões entraram mais dinâmicos, mas foi o Belenenses a estar muito perto de marcar quando, aos 53 minutos, após assistência de Licá, Henrique, com o peito, falha a baliza por pouco a baliza dos setubalenses.

Insatisfeito com o nulo, Sandro Mendes, aos 57 minutos, refrescou o meio-campo com a entrada de Éber Bessa (substituiu o estreante Tiago Castro). No lado do Belenenses, Jorge Silas também fez alterações, levando a jogo Kikas e Lucca, aos 61 e 64 minutos.

Volvidos quatro minutos, o conjunto azul sofreu uma contrariedade ao ficar a jogar em inferioridade numérica por expulsão de Sasso, defesa que, por protestos, viu o segundo cartão amarelo.

O Vitória de Setúbal não conseguiu aproveitar o facto de atuar mais de 20 minutos com mais um elemento em campo. Ao invés, o Belenenses, em contra-ataque, ameaçou um par de vezes - Licá foi o jogador mais perigoso - a baliza defendida por Cristiano.

Aos 90+1 minutos, o Vitória dispôs da sua melhor ocasião para marcar em todo o jogo. Berto, que aos 70 tinha substituído Mendy, desferiu um remate forte e colocado que só não deu golo porque Muriel desviou para a trave.

Exclusivos