COMENTÁRIO: Dois golos na primeira parte dão primeira vitória ao Desportivo de Chaves

O Desportivo de Chaves somou hoje o primeiro triunfo da época na I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa por 2-0 o Portimonense, num encontro da segunda jornada resolvido nos primeiros 45 minutos.

O triunfo do emblema 'azul-grená' sobre a equipa do Algarve, que somou a segunda derrota em dois jogos, começou a desenhar-se aos 27 minutos, com a transformação de uma grande penalidade por Marcão, e o resultado final foi fixado aos 31 minutos, com o golo de Perdigão num remate de meia distância.

A equipa comandada por Daniel Ramos fez quatro alterações face à goleada sofrida no Estádio do Dragão, diante o campeão nacional FC Porto, por 5-0, lançando os laterais Paulinho e Djavan, o médio Bressan e o ala Perdigão.

Já o clube algarvio apresentou apenas uma mexida após a derrota em casa com o Boavista, por 2-0, no arranque da I Liga, com Ewerton a ser lançado no meio-campo.

À procura de 'corrigir' a má entrada no campeonato, o emblema de Trás-os-Montes entrou melhor no desafio, mais 'aguerrido' na procura da bola e a dominar o encontro.

As oportunidades demoraram a surgir e o primeiro sinal de perigo surgiu numa jogada de Avto, pela esquerda, aos 12 minutos, com o extremo a servir Eustáquio na área, mas o remate a sair à figura.

O Portimonense procurava atacar em transições rápidas e apenas 'assustou', aos 19 minutos, por Shoya Nakajima, que após um canto recebeu a bola na área junto à linha de fundo e tentou o cruzamento remate que não teve correspondência.

Foi também numa transição que os flavienses chegaram ao golo, depois de Avto ter começado a jogada, aos 23 minutos, rematando para defesa de Ricardo Ferreira, mas a bola sobrou para William que disparou para mão na bola de Ewerton.

O árbitro André Narciso ainda recorreu ao videoárbitro, mas manteve a decisão de assinar a grande penalidade que o defesa Marcão transformou.

O golo fez a equipa da casa crescer ainda mais na partida e à meia hora de jogo Avto, pela esquerda, serviu William que cabeceou ao lado.

No minuto seguinte, Perdigão recebeu uma bola à entrada da área e disparou para o fundo das redes, aumentando a vantagem da sua equipa.

A resposta da equipa do Algarve não teve consequências, depois de aos 35 e 38 minutos, Manafá e Tabata, respetivamente, terem criado perigo.

O encontro perdeu intensidade na segunda parte, com o Portimonense a ganhar ascendente, mas consentido pelo Desportivo de Chaves, que procurou guardar a bola.

Face às investidas do adversário, Daniel Ramos mexeu na equipa e lançou Filipe Melo para refrescar o meio-campo, ganhando poder de choque.

Na resposta, António Folha procurou 'refrescar' o ataque com a entrada de Rafael Barbosa, primeiro, e de Taofiq, mais tarde, e arriscou tudo ao lançar Lazaroni nos dez minutos finais.

A estratégia do conjunto algarvio de explorar as alas, através da utilização de três centrais e uma linha média de cinco elementos, não surtiu efeito.

Praticamente sem jogadas de perigo, apesar de mais perto da baliza contrária, os visitantes tentaram aos 51 minutos por Ewerton, num remate por cima, e aos 90 por Shoya Nakajima, com um disparo à entrada da área que saiu ao lado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG