CDS-PP/Congresso: Tendência Esperança em Movimento apela à "reconciliação interna"

O porta-voz da tendência do CDS-PP "Esperança em Movimento", Abel Matos Santos, apelou hoje, no 27.º Congresso, à "reconciliação interna" e defendeu o regresso de "todos os que saíram" do partido, considerando que "basta de divisionismo".

"É preciso investir no partido e crescer nas eleições. Temos de apoiar a reconciliação interna, basta de divisionismos sem sentido. A presidente do partido [Assunção Cristas] não pode ficar refém dos estados de alma de ninguém", afirmou Abel Matos Santos, que é um defensor do regresso de Manuel Monteiro, que se afastou em 2003 para fundar outro partido, entretanto extinto.

Sobre a possibilidade do regresso de Manuel Monteiro, Assunção Cristas afirmou, numa entrevista ao Expresso, hoje publicada, que "traria mágoas ao de cima".

Perante os delegados ao 27.º Congresso, que decorre em Lamego, Viseu, Abel Matos Santos defendeu que "fazem falta ao CDS todos aqueles que saíram, quadros e personalidades de fundamental importância".

Na apresentação da moção da TEM, intitulada "Portugal a sério", Abel Matos Santos referiu os nomes dos anteriores líderes Manuel Monteiro, Ribeiro e Castro, Adriano Moreira, Lucas Pires e Amaro da Costa, apelando depois ao envolvimento de "todos", "portistas e até `crististas´".

"Isto é que é unir para crescer", defendeu o militante centrista que considerou "perigosa" uma atitude de pragmatismo "se não tiver por base" a doutrina democrata-cristã.

Contra a eutanásia, o casamento entre pessoas do mesmo sexo, Abel Matos Santos propôs ainda o regresso do Serviço Militar Obrigatório, a liberdade na educação e a adoção de um código de boas práticas para os nomeados e eleitos do CDS-PP, entre outras propostas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG