Autárquicas/Porto: Bebiana Cunha, a "ativista" do PAN em defesa dos animais

A psicóloga Bebiana Cunha, de 31 anos, foi escolhida pelo PAN - Pessoas-Animais-Natureza para a primeira candidatura do partido à Câmara do Porto, apresentando como objetivo lutar por um "efetivo centro de bem-estar animal".

Natural da freguesia da Sé, no Porto, e com uma família da qual fazem parte, como diz, "cinco gatos e uma cadela", Bebiana aderiu ao PAN em 2011, pouco depois da formação do partido. É membro da sua Comissão Política Permanente e foi cabeça de lista pelo distrito do Porto nas legislativas de 2015.

A candidata cresceu perto de Amarante, "numa família onde a ensinaram a respeitar o outro, fosse ele humano ou não", e "desde muito cedo se assumiu como ativista, fosse quando escrevia para o jornal da escola, a denunciar situações e a lutar pelos direitos humanos e dos animais, fosse pela constante participação em movimentos e associações cívicas", descreve o partido.

De acordo com o PAN, Bebiana Cunha tem por motivação diária a convicção de que "é na ação que nos transformamos", inspirando-se em "todas as pessoas que fizeram a diferença pela positiva".

"Inspirada por todas as pessoas que fizeram a diferença pela positiva, considera que devemos viver sabendo o que procuramos, que é na ação que nos transformamos e é com esse mote que se anima diariamente", resume a sua candidatura.

Esta primeira candidatura do PAN à autarquia portuense alicerça-se na implementação de um Centro de Recolha Oficial de Animais (CROA), "com base em políticas de adoção e onde o controlo de animais abandonados seja a esterilização", explicou.

Na apresentação da candidata, que atualmente exerce psicologia comunitária e clínica, o PAN destacou o "adiamento da construção do CROA, prometido pelo atual executivo e procrastinado ao longo destes quatro anos".

O PAN critica ainda a "atual ausência de reais políticas de proteção animal" no Porto.

Bebiana Cunha, que estudou em Coimbra e no Porto e é mestre em relações intergeracionais, pretende aprofundar a área da mobilidade "como um direito e uma forma de combate às alterações climáticas".

A prioridade vai para "os modos suaves (rede pedonal e ciclável) e os transportes públicos movidos a energias renováveis, bem como a renovação de redes de elétricos em carris".

A cabeça de lista do PAN, que "participou desde cedo em projetos de intervenção comunitária, foi dirigente associativa e participou em associações de cariz cultural e social", pretende "a promoção e regulação de serviços partilhados de automóveis elétricos".

A isto, soma-se "a introdução do trânsito de bicicletas nos corredores BUS" e a intenção de "descontinuar algumas das ciclovias existentes, devido ao seu grau de insegurança e perigosidade".

Bebiana Cunha co-coordenou o projeto "Limpar Portugal" em Matosinhos e, mais recentemente, participou em projetos como "Qual é o teu cartaz", "Omeletas sem Ovos" e "Porto pelos Animais".

Integra, desde 2011, diversos organismos internos do PAN, assumindo a coordenação do Grupo de Trabalho dos Animais em 2013.

Foi vice-presidente do Conselho Regional Norte de 2012 a 2014 e eleita para o Comissariado Regional Norte/Centro, de 2104 até ao momento.

Eleita para a Comissão Política Permanente em dezembro de 2014, assume a pasta da coordenação da Secretaria de Ação Jurídica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG