Associação patronal moçambicana e Active Capital criam fundo para PME

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), maior associação patronal do país, e a Active Capital, uma instituição financeira dos Emirados Árabes Unidos (EAU), lançaram hoje um fundo para o financiamento de pequenas e médias empresas moçambicanas.

Um comunicado da CTA refere que a linha de financiamento, cujo montante global não é especificado, vai desembolsar até 20 milhões de dólares (16,2 milhões de euros) para cada projeto de investimento aprovado.

"Para as empresas acederem ao fundo, é preciso que tenham as contas auditadas dos últimos três exercícios, bem como o estudo económico-financeiro do projeto de investimento em questão", diz o comunicado.

O empréstimo terá um período de reembolso de oito anos, com a possibilidade de um período de carência de reembolso de até quatro anos.

"Os fundos em Moçambique serão depositados e desembolsados diretamente ao agente económico e o reembolso diretamente ao fundo no exterior", refere a nota.

Com esta iniciativa, a CTA espera contribuir para o crescimento do setor produtivo em Moçambique e melhorar as condições de acesso ao crédito, acrescenta o comunicado.

Para a CTA, dado o período de carência confortável, este fundo pode servir para minimizar a escassez de financiamentos em setores como a agricultura e a indústria.

A CTA irá disponibilizar assistência técnica às empresas, através do Gabinete de Apoio Empresarial (GAE), no aprimoramento das propostas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG