APE promove ciclo "Sinais de Fogo" para homenagear Jorge de Sena no seu centenário

Lisboa, 06 jun 2019 (Lusa) - O centenário do nascimento de Jorge de Sena vai ser assinalado pela Associação Portuguesa de Escritores (APE) em Lisboa, com um debate, uma mesa redonda e a projeção do filme "Sinais de Fogo", inspirado na obra homónima.

Para homenagear o poeta, ficcionista, dramaturgo, ensaísta, crítico e professor universitário, foi organizado o ciclo "Sinais de Sena", coordenado pelo escritor Luís Machado, que se inicia com um debate, a 18 de junho, pelas 18:00, na Biblioteca Palácio Galveias, anunciou hoje a APE.

Esta sessão, subordinada ao tema "O Livro e o Filme", conta com a participação de José Manuel Mendes, presidente da APE, do coordenador do ciclo, Luís Machado, e do cineasta Luís Filipe Rocha, que dirigiu o filme "Sinais de Fogo", a partir do romance, e o documentário "Sinais de Sena", sobre o escritor.

A este debate, segue-se a projeção da longa-metragem sobre o romance do escritor, protagonizada por Diogo Infante, realizada em 1995 por Luís Filipe Rocha.

A encerrar o programa deste ciclo, terá lugar, no dia 25 de junho, também às 18:00, na Livraria Barata, a mesa-redonda "Jorge de Sena: O Poeta e o Ficcionista" que reúne Fernando J. B. Martinho, escritor e um dos estudiosos da obra de Jorge de Sena, José Manuel Mendes, Luís Machado e Teresa Carvalho, investigadora da obra do escritor.

Considerado um nome maior da literatura portuguesa, Jorge de Sena nasceu em Lisboa, em 1919, e morreu em Santa Bárbara - Califórnia, em 1978, onde se fixara.

Com uma obra vasta e multifacetada o autor de "Quarenta Anos de Servidão" e "O Reino da Estupidez" foi poeta, ficcionista, dramaturgo, ensaísta, crítico e professor universitário, tendo sido reconhecido como uma das mais destacadas figuras da cultura portuguesa do século XX.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG