Mercado do Bolhão reabre no final do 1º semestre com 129 espaços

No antigo Bolhão existiam 132 espaços, mas no espaço restaurado e modernizado haverá "um total de 129, com 81 bancas interiores, 10 restaurantes interiores e 38 lojas exteriores".

A reabertura do Mercado do Bolhão acontecerá no final de junho e o renovado mercado vai ter um total de 129 espaços, incluindo 81 bancas interiores, 10 restaurantes interiores e 38 lojas exteriores, avançou esta segunda-feira a Câmara do Porto.

"A abertura do Mercado do Bolhão está prevista no final do primeiro semestre de 2022", disse, em declarações por escrito, à agência Lusa fonte oficial da Câmara Municipal do Porto.

No antigo Bolhão existiam 132 espaços, mas no espaço restaurado e modernizado haverá "um total de 129 espaços, com 81 bancas interiores, 10 restaurantes interiores e 38 lojas exteriores".

"No novo projeto foi assegurada uma muito maior diversidade de oferta", explica a autarquia.

Questionada sobre o valor das rendas por metro quadrado (m2), a Câmara do Porto respondeu que assegurou, além da continuidade dos comerciantes e inquilinos históricos, "o mesmo valor das taxas de 5,91 euros para as bancas e fixou um valor mínimo de 8,88 euros/m2 para os restaurantes e para as lojas exteriores, caso tivessem um valor de renda inferior (e 3,86 euros/m2 para os pisos superiores)".

Quanto aos 42 espaços a atribuir por via de concurso, os valores mensais são variáveis, dependendo da arrematação em hasta pública.

"Os valores base dos concursos por metro quadrado correspondem a 16 euros nas bancas, 12 euros nos restaurantes e 21,74 euros ou 50 euros nas lojas, consoante o piso", explicou a Câmara do Porto.

O procedimento para atribuição dos espaços que não dos vendedores históricos é através do lançamento de concursos, e, por isso, não existem listas.

O mercado centenário, aberto em 1914, início da I Guerra Mundial foi alvo de uma obra de restauro consignada a 15 de maio de 2018, data que marca 100 anos após a inauguração do antigo mercado.

A obra estava prevista estar terminada dois anos depois (15 de maio de 2020), mas a pandemia da covid-19, entre outros problemas, atrasaram a reabertura.

A empreitada de restauro e modernização do Mercado do Bolhão foi adjudicada ao agrupamento Alberto Couto Alves S.A e Lúcio da Silva Azevedo & Filhos S.A por 22,379 milhões de euros, com um prazo global de execução de 720 dias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG