Luso e Bussaco recuperam tradição com mais de 70 anos na Semana Santa

O objetivo da organização é proporcionar aos turistas, a maioria espanhóis, um programa diferente, no qual grupos corais vão recuperar vários cantares. O objetivo é aliar as celebrações religiosas à vertente cultural, aproveitando ainda divulgar um património "único".

O concelho da Mealhada vai reavivar tradições com mais de 70 anos e assinalar a Semana Santa com concertos, procissões, rituais religiosos e a Via-Sacra do Bussaco, "a única réplica à escala da Via-Sacra de Jerusalém no mundo".

"Este programa nasce da vontade inicial de querermos retomar uma tradição que se fazia há 70 anos, que era a Procissão do Encontro. Para além deste objetivo principal da vivência religiosa, queríamos que o Luso tivesse um programa para receber turistas", explicou João Silva, da comissão organizadora, à Lusa, sublinhando que o concelho tem programações para oferecer pelo Natal e pelo Verão, mas que, no entanto, faltava reunir um conjunto de atrativos para a quadra da Páscoa, altura em que o concelho é muito visitado, "especialmente por espanhóis".

"A Semana Santa era vivida no Luso de uma forma muito particular, não com a dimensão que será feita este ano, mas já com algumas procissões simplistas e sem andores. Este ano vamos dar-lhe outra dinâmica, aliando as celebrações religiosas que já existem a uma vertente cultural e aproveitando para divulgar um património que é único", assinalou.

Um dos momentos altos da Semana Santa, que antecede a comemoração da Páscoa, terá lugar na tarde do dia 15 de abril, com o "Canto da Paixão", nas Capelas da Via Sacra do Bussaco. "Este cantar da Paixão vai ser dinamizado por um grupo coral de canto gregoriano e, em vez de se rezar a Via Sacra como acontece tradicionalmente, será uma Via Sacra cantada. Vamos fazer o percurso dos três quilómetros que tem a Via Sacra do Bussaco cantando", descreveu.

O programa inclui também dois concertos, sendo o primeiro a 14 de abril, com "O Cantar das Almas" pelo Grupo Regional da Pampilhosa do Botão, na Alameda do Casino de Luso. "Vamos recuperar esta tradição dos finais do século XIX, inícios do século XX, que é o Cantar das Almas, em que os antigos cantavam aos entes queridos já partidos, nos cruzamentos e nos adros das igrejas e das capelas durante a Quaresma", referiu.

Já no dia 16 de abril, Sábado de Aleluia, terá lugar o concerto de Páscoa, pela Associação Filarmónica de Luso, também na Alameda do Casino de Luso.

Via Sacra na Mata do Bussaco

A criação deste programa cultural e religioso de celebração da Semana Santa é da responsabilidade conjunta de uma Comissão Organizadora e da Unidade Pastoral da Mealhada, contando com a parceria da Câmara Municipal da Mealhada, Junta de Freguesia de Luso, Fundação Mata do Bussaco e Grande Hotel de Luso.

De acordo com a vice-presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Filomena Pinheiro, esta iniciativa vem reanimar uma prática que não se fazia há muitos anos e que "já por si é uma mais-valia para este território". "A nossa pretensão é a de que, com todos estes agentes, consigamos posicionar a Semana Santa como um evento de cariz turístico. A Mata do Bussaco tem a única réplica da Via Sacra de Jerusalém no mundo", evidenciou.

Apesar da Via Sacra do Bussaco ainda não estar toda requalificada, a autarca disse acreditar que tem condições para oferecer um produto turístico que será de referência. "As obras não estão todas concluídas, por causa dos constrangimentos em termos de mão-de-obra e trabalhos especializados, que estes dois anos de pandemia trouxeram. Mas o objetivo é posicionar este evento como um evento de cariz nacional e até internacional, porque temos um número considerável de visitantes estrangeiros, sobretudo espanhóis que celebram a Semana Santa, e queremos capitalizar esta oportunidade", concluiu Filomena Pinheiro.

dnot@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG