Freguesia de Santo António tem uma mercearia social com moeda própria

Na lisboeta Calçada do Moinho de Vento está, desde 2016, o primeiro mercado social com moeda própria gerido por uma junta de freguesia. Mais do que uma loja é também um espaço de ajuda para quem vive na freguesia de Santo António.

Massa, bolachas, arroz, cereais... nada parece faltar na mercearia Valor Humano no n.º 3 da Calçada do Moinho de Vento, em Lisboa. "Não temos nenhum luxo, somos um supermercado simples", explica Vasco Morgado, presidente da Junta de Freguesia de Santo António. Neste local as compras não se fazem com dinheiro, basta reparar na etiqueta por debaixo dos produtos para ver a moeda usada: "1 Santo António". A explicação segue numas linhas mais abaixo.

Espalhadas pela mercearia, voluntárias enchem pequenos sacos de alfazema para comemorar o Dia da Mulher (8 de março) - ouve-se ainda o barulho da máquina de costura, operada por Célia Ferraz, uma das muitas mulheres que ajudam no Cantinho dos Lavores da mercearia. Ali, vive-se um ambiente de família - "Gosto das pessoas, gosto da companhia", conta Eufrasina Sá Ruas, uma das voluntárias.

A mercearia social Valor Humano nasceu em 2016 com o objetivo de "devolver a dignidade a quem é apoiado", explica o presidente. Com o objetivo de procurar colmatar as falhas das habituais distribuições de comida, Vasco Morgado e a sua equipa desenvolveram um projeto, que diz ser pioneiro em Portugal: a primeira mercearia social com moeda própria. "Com as distribuições de comida, não sabemos do que é que as pessoas realmente precisam", comenta, "Aqui, as pessoas têm poder de escolha".

Isabel Lopes, cliente habitual do espaço, dispõe as suas compras sobre o tapete rolante da caixa registadora. É Paula Fonseca, responsável pela mercearia, que regista todos os produtos -Isabel acabou de gastar 29 dos seus 44 Santo Antónios mensais. "Para ser utente da mercearia, os residentes têm de passar pelo atendimento com uma assistente social", explicita Paula. "De acordo com a sua situação, é-lhe atribuído determinado valor em Santos Antónios para gastar na mercearia".

A ideia dos "Santo Antónios" foi lançada por um dos filhos de Vasco Morgado - enquanto o pai magicava a ideia da mercearia, o filho rematou: "Tu queres é um monopólio!". Quatro anos mais tarde, podemos encontrar, na caixa registadora da mercearia, as notas inspiradas não só no monopólio, como também nas notas de vinte escudos com o santo de Lisboa ilustrado.

Guardadas as compras, Isabel Lopes, atualmente desempregada, fala sobre o impacte positivo que a mercearia teve na sua vida: "As pessoas estão a fazer o melhor que podem, estão sempre a querer ajudar mais."

Absolutamente inédita na altura da inauguração, a Valor Humano foi financiada pelo ator e apresentador Fernando Mendes e o seu programa "O Preço Certo" - hoje, a iniciativa já foi apresentada a várias juntas de freguesia e até mesmo acarinhada pelo Papa Francisco.

Mas mais do que uma mercearia, a Valor Humano é um espaço de convívio, onde as voluntárias desenvolvem pequenos trabalhos para a celebração de datas marcantes como a Páscoa, o Dia dos Namorados, o Dia da Mãe e do Pai... Célia Ferraz abandona o seu posto à máquina de costura para mostrar um placard forrado de trabalhos manuais. Juntas, estas senhoras unem os residentes da freguesia de Santo António à sua Junta - quanto a isto, o Presidente Vasco Morgado sublinha que "as juntas de freguesia são o primeiro elo de ligação à pessoa".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG