BE questiona Medina por "bloqueio" na construção de creche na Estrela

Bloco de Esquerda Lisboa diz que a Carta Municipal de Creches está por agendar desde dezembro de 2018, mas que até agora a obra não avançou

O Bloco de Esquerda (BE) Lisboa entregou esta quarta-feira um requerimento ao Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, questionando sobre a eventual retirada da creche prevista para o Jardim da Estrela, o que, no entender do BE, incumpre uma decisão tomada em reunião de Câmara relativamente às prioridades de construção da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU).

"Em causa está a recuperação de um edifício histórico que não só é um equipamento necessário, como é reconhecido pela sua história enquanto Escola Froebel ou Lactário-Creche n.º 3, considerada a primeira creche da cidade de Lisboa. Apesar de estar prevista a reabilitação do edifício para a reabertura de uma creche naquele equipamento e apesar da Carta Municipal de Creches estar por agendar desde dezembro de 2018, até agora a obra não avançou. Torna-se incompreensível compreender os bloqueios sentidos ao início de uma obra que poderia ser rápida para recuperar e reabrir esta creche que tanta falta faz à cidade.", acusa o BE.

No entender do Bloco, "Lisboa vive já há vários anos com uma enorme lacuna de vagas de creches e jardins de infância da rede pública". "Além dos preços da habitação, esta crise agrava as dificuldades a jovens casais que se querem fixar no concelho de Lisboa e aqui constituir família. A ausência de equipamentos públicos ou de serviço público apresenta-se assim como um catalisador do êxodo de habitantes que a cidade tem sentido nos últimos anos e que precisa de uma resposta robusta da CML", pode ler-se na nota enviada à nossa redação.

O BE lembra que "o local foi desenhado de origem e destinado a jardim de infância, concebido para desenvolver o modelo de educação infantil de Froebel (o Kindergarten)" e que "esta reabilitação representa assim também a recuperação de uma memória viva um valor histórico de um equipamento que esteve em funcionamento até 2011, cedido à SCML".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG