Zelensky diz que decisão da NATO é "luz verde" para bombardeamentos

Ao recusar impor zona de exclusão aérea sobre a Ucrânia, diz o presidente do país, a Aliança Atlântica está a permitir os bombardeamentos.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, criticou esta sexta-feira a NATO por a organização excluir a possibilidade de impor uma zona de exclusão aérea sobre a Ucrânia, dizendo que a Aliança Atlântica sabe bem que um intensificar da agressão da Rússia é provável.

"Sabem que novos ataques aéreos e baixas são inevitáveis, mas a NATO deliberadamente decidiu não fechar o espaço aéreo sobre a Ucrânia", disse Zelensky num vídeo publicado na conta oficial da presidência.

"Hoje a liderança da aliança deu luz verde a que ocorram novos bombardeamentos a cidades e vilas ucranianas, ao recusar essa exclusão aérea", acrescentou o presidente ucraniano.

A Aliança Atlântica considera que não é realista criar uma zona de exclusão aérea sobre o palco de guerra uma vez que, para a implementar, teria de, na prática, ter forças aéreas de países da NATO a patrulhar a zona -- e potencialmente a entrar em conflito com aviões russos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG