Venezuela acolhe jogos militares com países amigos da Rússia

Jogos militares são organizados pela Rússia desde 2015. "O objetivo destes jogos, é unir mais culturas e povos" garante o ministro da Defesa venezuelano.

A Venezuela acolhe desde esta segunda-feira os exercícios "Sniper Frontier" dos Jogos Militares Internacionais de 2022, organizados desde 2015 pela Rússia e nos quais participam países como a China, o Irão, a Índia, Cuba e a Birmânia.

Esta é a primeira vez que a Venezuela, que tem relações estreitas com a Rússia, acolhe competições destes jogos anuais que reúnem cerca de trinta países, incluindo a Abcásia, reconhecida por alguns países próximos de Moscovo.

A cerimónia de abertura, parte da qual foi transmitida em direto pela televisão estatal venezuelana, teve lugar com grande pompa e desfiles, canções e discursos no Forte Terepaima, em Barquisimeto, no noroeste da Venezuela.

A Venezuela, que está sujeita a sanções económicas, nomeadamente dos Estados Unidos que não reconhecem a reeleição do Presidente Nicolás Maduro, também se aproximou do Irão e da China nos últimos anos.

"O objetivo, o espírito destes jogos, é unir mais culturas e povos" do que demonstrar as suas capacidades militares, afirmou o ministro da Defesa venezuelano, general Vladimir Padrino Lopez.

Até dia 17 de agosto, homens e mulheres das forças militares dos vários países testam as capacidades, habilidades e velocidade das suas equipas.

O ministério da Defesa da Venezuela indicou que uma delegação de 200 soldados venezuelanos também foi enviada para a Rússia para participar em outros eventos integrados nestes jogos militares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG