Transexual violador na Escócia não ficará em prisão feminina

A polémica surge numa altura em que o Governo britânico anulou legislação aprovada há um mês pelo Parlamento britânico por ser contrária às leis de igualdade, que procuravam agilizar os processos de mudança de sexo.

Uma mulher transexual condenada por violar duas mulheres antes de fazer o processo de transição de género masculino para feminino, não irá cumprir a sentença numa prisão feminina, confirmou a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon.

"Não seria apropriado dar detalhes sobre onde uma prisioneira está encarcerada, mas, dada a compreensível preocupação pública e parlamentar, posso confirmar que ela não ficará na prisão feminina de Cornton Vale", anunciou Sturgeon, referindo-se à prisão para onde a transexual foi transferida, após ter sido condenada na terça-feira.

Isla Bryson, cuja sentença será conhecida em fevereiro, mudou de homem para mulher enquanto aguardava julgamento por dois casos de violação de duas mulheres, um em 2016 e outro em 2019, quando ainda respondia pelo nome de Adam Graham.

Durante o processo judicial, Bryson afirmou que descobriu que era transgénero aos quatro anos de idade, mas foi só aos 29, há dois anos, que decidiu tomar hormonas e submeter-se a uma cirurgia.

No entanto, a mulher de Bryson disse ao jornal Daily Mail que a mudança de sexo não passou de uma "farsa" para enganar as autoridades, uma "manobra" para evitar acabar na prisão cercada por "homens grandes e assustadores" e assim obter "uma sentença mais suportável."

O local onde Bryson cumprirá a sua sentença foi muito debatido antes mesmo de um tribunal a ter considerado culpada, na terça-feira, com vários grupos políticos e da sociedade civil a discutirem os riscos para a segurança de outras mulheres se ela fosse acolhida na prisão de Cornton Vale.

Bryson permaneceu naquela prisão, a única exclusivamente para mulheres na Escócia, desde que as acusações de estupro foram apresentadas.

O caso foi levantado em Holyrood - o Parlamento escocês - pelo líder dos conservadores, Douglas Ross, que garantiu que Bryson é uma "besta", que só começou a mudar de sexo depois das acusações da Polícia.

Os deputados do Partido Trabalhista também se manifestaram no mesmo sentido, com Yvette Cooper a dizer que Bryson era um "violador perigoso" que não deveria estar numa prisão feminina.

"Se alguém representa um perigo para as mulheres e cometeu crimes contra elas, não deveria estar numa prisão feminina", sublinhou a deputada trabalhista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG