Sturgeon deixa aviso a Boris: "Não há justificação para bloquear o direito do povo da Escócia"

Partido da primeira-ministra Nicola Sturgeon ficou a um lugar da maioria absoluta, mas conta com os Verdes para uma maioria pró-independentista que suporte um novo referendo. Boris Johnson já disse que a ideia é "irresponsável"

A primeira-ministra e líder do Partido Nacional Escocês (SNP), Nicola Sturgeon, disse este sábado (8) não haver motivos para Londres bloquear um novo referendo sobre a independência escocesa num discurso televisivo de vitória. "Simplesmente não há justificação democrática para Boris Johnson ou qualquer outra pessoa pretender bloquear o direito do povo da Escócia de escolher o nosso próprio futuro", disse Sturgeon.

Segundo os últimos resultados da votação de quinta-feira passada, o SNP assegurou 64 assentos no Parlamento, a apenas um da maioria absoluta, num parlamento de 129 membros.

Sturgeon, no entanto, não se coibiu de reclamar a vitória pro-independentista, aludindo a uma união com os Verdes. "Aparentemente, não há dúvida de que haverá uma maioria pró-independência neste Parlamento", acrescentou a primeira-ministra escocesa, lembrando que os Verdes também são a favor da realização de um referendo.

"É a vontade deste país", concluiu Sturgeon, alertando para que qualquer iniciativa dos conservadores para impedir um novo referendo os colocaria "em oposição direta à vontade do povo e demonstraria que o Reino Unido não é um parceiro igualitário".

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, já menifestou que se opõe veementemente a tal, considerando que essa consulta só pode ser feita uma vez por geração. Em 2014, 55% dos eleitores votaram pela permanência no Reino Unido. "Acho que um referendo no contexto atual é irresponsável e imprudente", criticou Johnson.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG