Serviços de inteligência russos negam planos para invadir a Ucrânia

Os serviços de inteligência russos negam a acusação de que Moscovo está a preparar uma invasão militar à Ucrânia. Putin atribuiu responsabilidades ao Ocidente.

Os serviços de inteligência russos (SVR) desmentiram, esta segunda-feira (22 de novembro) a acusação de que Moscovo estará a a planear uma invasão ao território ucraniano.

"Os americanos estão a pintar uma imagem de terror de tanques russos que irão começar a esmagar as cidades ucranianas, alegando que têm "informações confiáveis" das intenções russas", afirmou o SVR num comunicado enviado às agências de informação russas. "Absolutamente falsas": é deste modo que o comunicado se refere às acusações norte-americanas.

De acordo com o SVR, o governo dos Estados Unidos está a enviar aos seus aliados "informações absolutamente falsas sobre a concentração de forças no território do nosso país para uma invasão militar da Ucrânia".

Também o presidente russo, Vladimir Putin acusou, na semana passada" o Ocidente de estar a "escalar" o conflito na Ucrânia com exercícios militares no Mar Negro. Afirmou ainda que os bombardeiros dos Estados Unidos tinham voado perto das fronteiras russas.

Desde 2014, depois de Moscovo ter anexado a Crimeia, que o exército ucraniano está envolvido num conflito com separatistas pró-rússia, perto da fronteira. Kiev e os seus aliados ocidentais acusam a Rússia de enviar tropas e armas através da fronteira para apoiar os movimentos separatistas. Acusação sempre negada pelo governo de Moscovo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG