Exclusivo "Roberta Metsola é uma verdadeira europeísta. Não tem espírito de fação"

O DN falou em Estrasburgo com o vice-presidente do Partido Popular Europeu, o eurodeputado Paulo Rangel, sobre os bastidores da eleição da nova líder do Parlamento Europeu (e do seu número dois), o que esperar do trabalho dela e dos seis meses da presidência francesa da União Europeia.

A nova presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, pertence ao Grupo do Partido Popular Europeu (PPE), que conseguiu eleger também o primeiro vice-presidente do hemiciclo. Foi uma boa semana para o seu grupo?
Para o PPE foi uma grande semana, não há dúvidas nenhumas. Primeiro porque a presidente do Parlamento foi eleita com uma votação muito expressiva. Para presidente as votações são sempre mais curtas do que esta. E foi eleita logo à primeira volta. Isso tinha a ver, claro, com o compromisso que os partidos tinham entre si, mas acho que também tinha muito a ver com a candidata. Se o PPE tivesse escolhido alguém sem a capacidade de fazer pontes, o prestígio e o currículo de relação com outros grupos que tem a Roberta Metsola, nunca teria atingido este patamar. Depois, também muito bom para o PPE o facto de ter tido o primeiro vice-presidente. Mas, mais uma vez, as pessoas contam. O Othmar Karas é vice-presidente há muito tempo. É um europeísta convicto, com muito boas relações com todos os grupos, e aqui isto faz a diferença.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG