Putin quer "salvar as pessoas" dos territórios ucranianos controlados por Moscovo

Terminam esta terça-feira os denominados referendos de adesão à Rússia dos territórios ucranianos controlados, total ou parcialmente, por Moscovo.

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou esta terça-feira que a Rússia quer "salvar as pessoas" de quatro territórios controlados, total ou parcialmente, por Moscovo na Ucrânia. A declaração foi proferida no último dia da realização dos denominados referendos de anexação, considerados uma farsa por vários líderes ocidentais.

Caso as regiões de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson votem a favor da anexação, Moscovo poderá reivindicar a soberania sobre cerca de 20% da Ucrânia, incluindo a Crimeia, que foi anexada em 2014.

"Salvar as pessoas em todos os territórios onde estão a ser realizados referendos é o foco da atenção de toda a nossa sociedade e de todo o país", disse Putin durante uma reunião com oficiais, que foi divulgada na televisão.

Devem terminar esta terça-feira os denominados referendos de anexação, organizadas por autoridades instaladas pelo Kremlin em quatro regiões da Ucrânia controladas principalmente por forças russas.

Entretanto, no último relatório sobre a situação na Ucrânia, os serviços de inteligência do Ministério da Defesa britânico indicam que há uma "possibilidade realista" de que Putin anuncie oficialmente a anexação de territórios ucranianos já esta sexta-feira, durante o seu discurso nas duas câmaras do parlamento russo.

O Kremlin fez saber, também esta terça-feira, que os referendos de anexação nas quatro regiões ucranianas terão consequências "radicais" nestes territórios, em particular na questão de segurança.

"A situação legal mudará radicalmente do ponto vista do direito internacional e isto também terá consequências sobre a segurança nestes territórios", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG