Putin: "não há pressa" em terminar a invasão na Ucrânia

Na cimeira da Organização de Cooperação de Xangai, que se realiza esta sexta-feira, Vladimir Putin falou sobre a continuação das operações em Donbass após, da retirada russa na região de Kharkiv e acusa a Ucrânia de rejeitar o "processo de negociação" para acabar a guerra.

O presidente russo Vladimir Putin afirmou não ter planos para ajustar as operações militares da Rússia na Ucrânia, apesar da retirada russa na região de Kharkiv: "Não estamos com pressa... não há mudanças"

"O plano não está sujeito a ajustamentos", disse Putin aos repórteres durante uma cimeira regional no Uzbequistão. "As nossas operações ofensivas no Donbass em si não pararam. Estão a avançar a um ritmo lento... e o exército russo está a ocupar territórios cada vez mais novos", disse Putin.

Moscovo foi condenada internacionalmente por invadir a Ucrânia, país vizinho, mas Putin recusou a culpa pelos combates em curso.

"Infelizmente, apenas o lado oposto, a liderança da Ucrânia, anunciou a sua rejeição do processo de negociação, e declarou que quer alcançar os seus objetivos por meios militares, no campo de batalha", disse.

As acusações surgem após o presidente ucrâniano Zelensky ter afirmado que "a Rússia deixa apenas morte e sofrimento. Assassinos. Torturadores", disse em relação as valas comuns com mais de 440 corpos descobertos esta quinta-feira, em Izium.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG