Primeiro voo comercial internacional em Cabul desde regresso ao poder dos talibãs

Este é um dos primeiros sinais de normalização económica do país e do seu principal aeroporto internacional, que havia sido ocupado no final de agosto por milhares de afegãos que queriam deixar o país após o regresso ao poder do movimento islâmico.

Um avião da empresa paquistanesa PIA aterrou esta segunda-feira no aeroporto de Cabul, o primeiro voo comercial internacional desde que os talibãs assumiram o controlo do Afeganistão, em 15 de agosto, revelaram jornalistas da Agência France Presse (AFP).

Este é um dos primeiros sinais de normalização económica do país e do seu principal aeroporto internacional, que havia sido ocupado no final de agosto por milhares de afegãos que queriam deixar o país após o regresso ao poder do movimento islâmico.

A aeronave, que pousou por volta das 10:30 locais (07:00 em Lisboa), transportava apenas algumas pessoas.

"Quase não havia ninguém no avião, cerca de 10 pessoas (...), talvez mais membros da tripulação do que passageiros", disse um jornalista da AFP a bordo do voo de Islamabad.

No domingo, um porta-voz da PIA confirmou este primeiro voo para Cabul, informando, porém, que a empresa ainda está a trabalhar para tornar as ligações regulares.

"Este é um momento importante, um dia de esperança", disse à AFP um funcionário do aeroporto de Cabul, na esperança de que outras empresas fizessem o mesmo rapidamente.

Após a repentina retomada do poder pelos talibãs, os aliados ocidentais do governo deposto, liderados pelos Estados Unidos, organizaram uma gigantesca ponte aérea no aeroporto de Cabul que, no total, retirou mais de 123.000 pessoas, principalmente afegãos.

A tentativa caótica e desesperada dos afegãos sofreu uma reviravolta dramática em 26 de agosto, quando a filial local do ISIS (grupo extremista Estado Islâmico) realizou um ataque no meio da multidão, matando mais de 100 pessoas.

Desde então, os talibãs assumiram o controlo total do aeroporto, auxiliado em particular pelos seus aliados no Catar, e os sinais de um regresso ao normal multiplicaram-se.

Dois voos charter operados pela Qatar Airways descolaram na semana passada com estrangeiros e afegãos a bordo que não puderam ser retirados no início.

Em 03 de setembro, a companhia aérea pública afegã Ariana Airlines também anunciou a retomada dos seus voos domésticos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG