Polícia impede tiroteio em massa no dia da Independência dos EUA na Virgínia

Um porta-voz do departamento da polícia disse que duas pessoas foram detidas, mas não as identificou ou forneceu outros detalhes.

A polícia de Richmond, no estado norte-americano da Virgínia, disse esta quarta-feira que impediu um tiroteio e massa planeado para segunda-feira, dia da Independência dos Estados Unidos, após receber uma informação que levou a detenções e a apreensão de armas.

A informação foi adiantada num comunicado sem qualquer outro pormenor.

Um porta-voz do departamento da polícia disse que duas pessoas foram detidas, mas não as identificou ou forneceu outros detalhes, segundo a agência de notícias AP.

O anúncio desta quarta-feira surge dois dias depois de um tiroteio num desfile do dia da Independência dos Estados Unidos, em Highland Park, nos subúrbios de Chicago, que fez pelo menos seis mortos e cerca de 30 feridos.

O principal suspeito do tiroteio de Highland Park, Robert E. Crimo III, enfrenta sete acusações de assassínio.

O tiroteio fez com que centenas de pessoas fugissem com medo e desencadeou uma caça ao homem durante uma hora. As autoridades ainda não identificaram um motivo.

O homem detido pelo tiroteio fatal do Dia de Independência dos EUA em Chicago, confessou ser o autor do crime e a polícia informou esta quarta-feira que ele admitiu "seriamente" um segundo ataque.

O procurador de Lake County (no estado do Illinois), Eric Rinehart, disse que Robert Crimo, de 21 anos, acusado do tiroteio, "admitiu o que fez", durante o interrogatório.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG