ONU alerta: fome em Madagáscar é a primeira atribuída às alterações climáticas

A ilha está a ser atingida pela maior seca dos últimos 40 anos. 30 mil pessoas estão a passar forme e 1.3 milhões sofrem de má nutrição aguda.

O diretor adjunto do Programa Alimentar Mundial (PAM) em Madagáscar disse esta terça-feira (02 de novembro) que a causa para a fome no sul deste país africano é o aquecimento global.

"Esta é a única situação de fome na Terra relacionada com as alterações climáticas", disse Aduino Mangoni durante uma videoconferência da Organização das Nações Unidas (ONU), em Genebra, de acordo com a agência France-Presse, exemplificando que a fome que afeta o Iémen, o Sudão do Sul e a região de Tigray, na Etiópia, são causadas por conflitos.

De acordo com o responsável do programa da ONU, há 30 mil pessoas a passar fome na parte sul da ilha, que foi atingida pela maior seca dos últimos 40 anos, e mais de 1,3 milhões de habitantes sofrem de má nutrição aguda.

A ilha de Madagáscar só daqui a seis meses terá a próxima época de colheitas, pelo que os números apresentados deverão agravar-se até lá, disse Mangoni, apontando que 500 mil crianças estão subnutridas e cerca de 110 mil estão gravemente desnutridas e a um passo da morte.

O PAM precisa de cerca de 60 milhões de euros para poder fornecer assistência nos próximos seis meses, principalmente no extremo sul da ilha, onde 91% da população vive na pobreza e a seca destruiu a capacidade de produção agrícola e pesqueira de que as famílias precisam para sobreviver.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG