Exclusivo Nupes, burkinis e um ministro sob suspeita. Campanha eleitoral começa em França

Macron remodelou o governo tardiamente para esvaziá-lo de críticas, porém surgiram alegações de que um governante cometeu abusos sexuais. Mudança foi também um piscar de olho à esquerda, onde a Nupes sonha com Mélenchon na chefia do governo.

A figura do presidente francês deverá dominar a campanha eleitoral para as legislativas que começa nesta segunda-feira, salvo algum escândalo novo ou elementos adicionais aos que dominaram o espaço público nos últimos dias. Com o novo governo limitado na sua ação (ver caixa), Emmanuel Macron deverá tentar manter-se no centro das atenções até dia 19 de forma a perseguir o objetivo de manter uma maioria parlamentar com base no seu partido, e assim assegurar a continuidade do executivo acabado de remodelar.

Nas vésperas da nomeação da nova primeira-ministra, elementos do partido de Marine Le Pen queixavam-se de uma "campanha no vazio" graças à estratégia do Eliseu em prolongar o máximo tempo possível o demissionário Jean Castex em funções. "Macron está a neutralizar o tempo político", desabafava um elemento da Reunião Nacional à Franceinfo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG