Multa de 95 mil milhões por não se ter evitado desastre nuclear de Fukushima

É a primeira vez que ex-líderes do grupo são responsabilizados pelo desastre de Fukushima, que ocorreu após um tsunami.

Um tribunal de Tóquio condenou hoje quatro ex-funcionários da fornecedora de eletricidade Tepco ao pagamento de 13 biliões de ienes (95 mil milhões de euros) em danos por não terem evitado o acidente nuclear de Fukushima em 2011, o maior desde Chernobyl.

De acordo com os media locais, esta decisão é o culminar de processos judiciais iniciados em 2012 pelos acionistas da Tepco.

É a primeira vez que ex-líderes do grupo são responsabilizados pelo desastre de Fukushima, que ocorreu após um tsunami.

Como operadora da fábrica, a Tepco enfrentou vários processos legais, inclusive de moradores que foram forçados a sair da região por causa da radiação, às vezes em condições muito difíceis.

Em 2019, três ex-executivos da Tepco que tinham sido processados por causa da evacuação daquela região foram absolvidos em primeira instância.

Foi interposto recurso e estes ex-dirigentes estão entre os quatro condenados hoje.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG