A maldição de "Rust". Depois do caso Baldwin, mais uma tragédia

Operador de iluminação foi picado por aranha venenosa e corre sérios riscos de perder um braço.

Já se fala numa maldição em torno do filme "Rust". Depois de o ator Alec Badwin ter morto de forma acidental a diretora de fotografia Halyna Hutchins, ao disparar uma arma que estava carregada, agora um membro da produção pode ficar sem um braço.

Jason Miller, operador de iluminação, foi há dias picado num braço por uma aranha venenosa enquanto ajudava a desmontar o set das filmagens de "Rust", que foi interrompido por tempo indeterminado na sequência do episódio da morte da diretora de fotografia.

De acordo com a Sky News, Miller foi picado por uma Loxosceles reclusa, também conhecida como aranha-violinista ou aranha-marrom-reclusa, e corre o perigo de ter de ser amputado. O operador de iluminação foi hospitalizado e já terá sido operado várias vezes ao braço. Os médicos estão a tentar impedir que a infeção se alastre e que obrigue à amputação do braço.

Um porta-voz da produção e o próprio Alec Badwin não quiserem comentar a situação, apenas revelaram que se tratam de assuntos do foro privado.

O filme "Rust" estava a ser filmado no Rancho Bonanza Creek, no Condado de Santa Fé, no Novo México, Estados Unidos.

O ator americano Alec Baldwin quebrou pela primeira vez o silêncio sobre a tragédia ocorrida durante as filmagens do filme Rust na semana passada.

"Ela era minha amiga. No dia em que cheguei a Santa Fé e comecei a filmar, levei-a a jantar juntamente com Joel Souza, o realizador. Éramos uma equipa muito experiente a rodar um filme juntos e este episódio horrível aconteceu. É um caso num bilião", respondeu Baldwin, num vídeo partilhado pelo site TMZ.

Halyna Hutchins morreu depois de Baldwin disparar uma arma durante a rodagem do filme Rust. Ela tinha 42 anos. O realizador do filme, Joel Souza, de 48 anos, ficou ferido no ombro. As autoridades do Novo México, nos Estados Unidos, estão a investigar o caso.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG