Mais de 139 mil pessoas impedidas de entrar na UE em 2021

De acordo com a Eurostat, a Hungria (34.650), Polónia (26.160) e a Croácia (14.190) foram os Estados-membros que mais proibiram entradas pelas suas fronteiras externas.

Em 2021, um total de 139.035 pessoas oriundas de países terceiros foram impedidas de entrar nas fronteiras da União Europeia (UE), mais 1% do que no ano anterior, segundo dados do Eurostat divulgados esta quinta-feira.

De acordo com o serviço estatístico da UE, a Hungria (34.650), Polónia (26.160) e a Croácia (14.190) foram os Estados-membros que mais proibiram entradas pelas suas fronteiras externas.

A maior parte das proibições de entrada visaram cidadãos ucranianos (50.200), seguindo-se albaneses (18.600) e moldavos (9.100).

Por outro lado, no ano passado foram detetadas 681.200 pessoas na UE em situação irregular, com a França no topo da tabela (215.150), seguida da Hungria (134.140) e da Alemanha (120.285).

Em Portugal, foi recusada a entrada a 1.150 cidadãos de países terceiros, tendo sido detetadas outras 1.855 presenças ilegais.

O Eurostat divulga ainda que cerca de 342.100 cidadãos de países terceiros receberam ordem de expulsão da UE, menos 14% do que em 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG