Maduro celebra vitória e anuncia que convocará o Conselho de Governo

O PSUV, partido do Governo, ganhou 20 dos 23 estados do país, nas eleições regionais e municipais de domingo. "Um grande obrigado ao povo da Venezuela por nos ter dado este triunfo como um povo nobre", disse o presidente Nicolás Maduro.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, atribuiu esta segunda-feira a vitória nas eleições regionais e municipais de domingo à perseverança e consciência dos eleitores e anunciou que convocará o Conselho de Governo, no qual espera que participem também os opositores eleitos.

"Um grande obrigado ao povo da Venezuela por nos ter dado este triunfo como um povo nobre. Se estamos aqui vitoriosos é porque criámos consciência entre o povo", disse Nicolás Maduro, numa declaração ao país a partir do palácio presidencial de Miraflores, em Caracas.

Por outro lado, destacou que as forças revolucionárias, o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo), ganharam "21 das 24 governações (20 dos 23 estados mais o Distrito Capital), em 29 eleições, em 22 anos".

Segundo Nicolás Maduro, as eleições venezuelanas correram "com normalidade" e 300 observadores internacionais puderam "circular livremente".

Por outro lado, o chefe de Estado fez um apelo aos governadores da oposição que foram eleitos a trabalharem juntos pelo bem-estar do povo e anunciou que nos próximos dias convocará um Conselho de Governo no qual deverão também participar os opositores eleitos.

"Tenho a certeza de que revigoraremos o Conselho Federal de Governo e daremos prioridade a um diálogo político para ação, com todos os governadores e presidentes de câmara eleitos", disse.

O Presidente da Venezuela sublinhou que "só pela via do diálogo é possível avançar" e mostrou-se confiante de que depois das eleições surja no país "uma nova história de respeito pelas instituições e de trabalho comum sobre a base do diálogo e da ação".

"Reitero o meu apelo aos candidatos eleitos da oposição para avançar no diálogo político e na reunificação nacional. Estendo-lhes as minhas mãos, para trabalharmos em conjunto, com boa vontade e fé, para construir a nova prosperidade do povo. Diálogo para a ação!", frisou o governante.

Nicolás Maduro sublinhou que "só através do diálogo e do respeito pela Constituição é possível progredir" e que quer "acreditar numa nova história de respeito pela democracia, liberdades e institucionalidade, no Conselho Federal de Governo".

O Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo) ganhou 20 dos 23 estados do país, nas eleições regionais e municipais de domingo, segundo dados divulgados pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE).

O PSUV obteve ainda 58,93% dos votos para a Câmara Municipal de Libertador, o maior município de Caracas, a capital do país.

Os dados, correspondentes ao primeiro boletim oficial, foram divulgados pelo presidente do CNE, Pedro Calzadilla, e revelaram ainda que a oposição venezuelana conseguiu apenas três estados: Cojedes, Zúlia e Nova Esparta.

Segundo Pedro Calzadilla, participaram nas eleições 8.151.793 eleitores, que correspondem a uma participação de 41,80% dos cidadãos recenseados, quando estão apuradas 90,21% das mesas eleitorais.

A abstenção foi de 58,2%, superior aos 38,97% registados nas eleições regionais de 2017.

Os venezuelanos foram no domingo às urnas para eleger as autoridades que nos próximos quatro anos vão dirigir os 23 estados e os 3.082 candidatos que vão exercer funções em 335 municípios do país.

Segundo o CNE, foram apresentadas 70.244 candidaturas, incluindo dos principais partidos de oposição, que no passado apelaram ao boicote dos processos eleitorais, considerando não existirem garantias de transparência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG