Lula recebe primeira dose da vacina e pede a Bolsonaro que deixe de ser ignorante

O ex-presidente do Brasil Lula da Silva recebeu este sábado a primeira dose da vacina contra a covid-19 e apelou aos brasileiros para que se vacinem em massa, para combater a pandemia e a ignorância de negacionistas como Bolsonaro.

"Estou feliz e espero que a vacina dê o resultado que eu sonho e que as pessoas sonham. Tudo o que as pessoas querem é receber uma vacina que as livre daquele monstro chamado coronavírus e é por isso que o Presidente da República tem de deixar de ser ignorante, aprender a respeitar o sentimento do povo e garantir a todos uma vacina", disse Lula da Silva, numa transmissão através das redes sociais, depois de ser vacinado.

O dirigente do Partido dos Trabalhadores (PT) de 75 anos, que viu, esta semana, as suas condenações por corrupção anuladas pelo Supremo Tribunal Federal, defendeu a vacinação e pediu ao Governo mais esforços para imunizar toda a população e agilizar o processo.

"Temos de lutar contra os negacionistas, lutar contra aqueles que não acreditam na vacina e só falam 'bobagens' para a sociedade", acrescentou Lula da Silva, numa clara alusão a Jair Bolsonaro, atual Chefe de Estado, que tem questionado não apenas a gravidade da pandemia, mas também a eficácia e segurança das vacinas.

"Temos de mostrar que só existe uma forma de combater o coronavírus, que é vacinar-se, independentemente do país de origem da vacina. O importante é que seja eficaz", acrescentou o ex-sindicalista que governou o Brasil entre 2003 e 2010, aludindo novamente a Bolsonaro, que chegou a desprezar a vacina desenvolvida pela Sinovac Biotech, a mais utilizada até ao momento no país, por se tratar de um laboratório chinês.

O ex-Presidente adiantou que foi vacinado com a Coronavac, da Sinovac, produzida localmente pelo Instituto Butantan, um laboratório vinculado ao governo do Estado de São Paulo. "É exatamente a que eu queria", disse.

Lula, que foi autorizado a disputar as eleições presidenciais de 2022 depois de terem sido anuladas as suas sentenças, afirmou que é importante que os brasileiros se vacinem, evitem multidões e usem máscara, mesmo aqueles que não acreditam na ciência.

"Se você não se ama, pelo menos você ama sua família e seus amigos. E você tem que se cuidar porque se você for infetado, o vírus vai passar para eles. Então é melhor não pegar nem transmitir", salientou.

O ex-Presidente defendeu, ainda, que a vacinação é fundamental para vencer a pandemia e, por isso, o Governo tem de garantir vacinas para toda a população.

"Se tivéssemos um Governo que pensasse seriamente e não jogasse com a situação e dissesse tantas 'bobagens', já teríamos vacinas suficientes para toda a população", afirmou.

Lula da Silva foi hoje a um posto de vacinação improvisado por volta das 10:00 (locais, 13:00 GMT), em São Bernardo do Campo, município da Área Metropolitana de São Paulo, onde tem residência e onde iniciou a sua carreira sindical e política.

O ex-Presidente fez-se acompanhar por Alexandre Padilha, um dos ministros da Saúde do seu Governo, e recebeu a vacina sem sair do carro que o conduzia até o local e usando uma máscara com a cor e o logótipo do PT.

Apesar da rapidez do procedimento, a sua vacinação causou alvoroço e aglomeração de jornalistas.

Desde a anulação das suas sentenças, Lula da Silva tem criticado a gestão de Bolsonaro durante a pandemia, que já anunciou a sua intenção de tentar a reeleição em 2022.

O dirigente do PT atribui as culpas pelo Brasil se ter tornado, nos últimos dias, o epicentro global da pandemia à má gestão do Governo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG