Líder republicano no Senado recusa qualquer apoio aos projetos de Biden

Mitch McConnell garantiu que as iniciativas de investimento público terão "zero" apoio dos republicanos.

O líder da minoria republicana no Senado dos Estados Unidos, Mitch McConnell, recusou que qualquer legislador do partido apoie os pacotes de estímulo económico impulsionados pelo Presidente, o democrata Joe Biden.

Em conferência de imprensa na segunda-feira no Kentucky, Estado pelo qual foi eleito, McConnell referiu-se em específico aos pacotes social e de infraestruturas, de 1,8 mil milhões de dólares (1,49 mil milhões de euros) e 2,3 mil milhões de dólares (mais de 1,9 mil milhões de euros), respetivamente.

O líder da minoria republicana no Senado norte-americano reconheceu que "vale a pena" falar sobre as iniciativas promovidas pelo Presidente, mas garantiu que as propostas legislativas terão "zero" apoio dos republicanos.

Os dois pacotes contemplam medidas para a construção de infraestruturas essenciais, como, por exemplo, pontes e escolas públicas, e para apoio a segmentos da população mais afetados pela crise económica decorrente da pandemia, entre outras.

A maioria democrata no Senado, que, na realidade, tem os mesmos 50 senadores que a minoria republicana, está com dificuldades em ver os diplomas aprovados, já que são necessários pelo menos 60 senadores para os aprovar.

O voto de desempate no Senado compete atualmente à vice-presidente dos EUA, a democrata Kamala Harris.

Para conseguir a aprovação, os democratas poderão ter de aceitar o pacote de infraestruturas alternativo, de 580 milhões de dólares (mais de 480 milhões de euros) proposto pelo grupo de senadores republicanos liderado por Shelley Moore, eleita pelo Estado da Virginia Ocidental.

A senadora terá conversado com Joe Biden na última semana sobre a possibilidade de haver negociação. Uma reunião na Casa Branca é esperada durante as próximas semanas.

McConnell confirmou que os republicanos estão dispostos a negociar, mas rejeitou chegar ao valor proposto pelos democratas.

"Estamos abertos a fazer um pacote de 600 milhões de dólares (quase 500 milhões de euros) que englobe tudo o que concordámos, que são as infraestruturas", referiu o senador republicano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG