Jornalistas do New York Times fazem greve. Não acontecia há 40 anos

É a primeira greve em mais de quatro décadas num dos mais conceituados órgãos de comunicação do mundo e com mais de 170 anos de existência. A razão? Melhores salários.

Centenas de jornalistas e funcionários do New York Times (NYT) começaram esta quinta-feira uma greve de 24 horas, devido à falta de avanços nas negociações dos contratos, que expiraram em março de 2021.

Segundo o sindicato dos trabalhadores do NYT, a NewsGuild, mais de 1100 decidiram aderir à paralisação. "Nunca é fácil recusar fazer o trabalho que se ama, mas os membros estão dispostos a fazer o que for preciso para conseguir uma melhor redação para todo", pode ler-se no Twitter do sindicato, que criticou a falta de diálogo da direção, que por sua vez acusa o sindicato de tomar uma decisão "incompreensível" perante "os esforços da empresa em progredir.

O jornal continua a operar, mas desconhece-se o impacto da greve na cobertura noticiosa. Além da greve, estará previsto para esta quinta-feira um comício em frente à sede do jornal, na cidade de Nova Iorque, na Times Square.

É a primeira greve em mais de 40 anos, num dos mais conceituados órgãos de comunicação do mundo e com mais de 170 anos de existência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG