Joe Biden ofereceu ajuda "imediata" ao Haiti após o sismo

O sismo causou uma "situação dramática" e provocou "várias perdas de vidas humanas" -- pelo menos 29 até agora confirmadas

O Presidente norte-americano, Joe Biden, ofereceu a ajuda dos Estados Unidos ao Haiti após o sismo de magnitude 7,2 que atingiu hoje o país, indicou a Casa Branca.

Biden "autorizou uma resposta norte-americana imediata e encarregou a diretora da Agência Norte-Americana de Ajuda Internacional (USAID), Samantha Powers, de coordenar esses esforços", disse à imprensa um responsável da Casa Branca que solicitou o anonimato.

A Casa Branca não especificou em que consistirá essa ajuda e não esclareceu se enviará imediatamente algum tipo de assistência para o país caribenho que divide com a República Dominicana a ilha de Hispaniola e que é o mais pobre do continente americano.

Também o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, expressou a sua solidariedade "e a de todo o povo espanhol" ao Haiti devido ao grave sismo hoje sofrido, numa mensagem publicada na sua conta oficial da rede social Twitter, na qual acrescentou: "Contais com o apoio de Espanha para seguir em frente após este terrível acontecimento".

O sismo causou uma "situação dramática" e provocou "várias perdas de vidas humanas" -- pelo menos 29 até agora confirmadas -- "e danos materiais em vários departamentos do país", disse o primeiro-ministro haitiano, Ariel Henry.

O terramoto registou-se às 08:29 locais (13:29 de Lisboa) a nordeste de Saint-Louis du Sud, no sul do Haiti, a dez quilómetros de profundidade, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

A agência geológica associou ao sismo um alerta vermelho na sua escala de danos humanos, o que significa que "é provável que haja um elevado número de vítimas e é provável que o desastre afete uma zona extensa", indicou, na sua página da internet.

"No passado, outros eventos com este nível de alerta exigiram uma resposta de nível nacional e internacional", advertiu ainda.

A Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês) emitiu um alerta de tsunami que posteriormente levantou, ao determinar que se extinguira a ameaça de ocorrer esse fenómeno caracterizado por ondas gigantes.

O terramoto de hoje teve uma intensidade ligeiramente superior ao que em janeiro de 2010, com 7 graus de magnitude, fez 300.000 mortos, cerca de 300.000 feridos e 1,5 milhões de afetados no Haiti.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG