Identificado metanol químico como possível causa da morte de 21 jovens em discoteca sul-africana

O metanol é uma forma tóxica de álcool que é utilizado industrialmente como solvente, pesticida ou uma fonte alternativa de combustível. Não é utilizado na produção de álcool vendido para consumo humano.

O tóxico metanol químico foi identificado como uma possível causa da morte de 21 adolescentes num bar na cidade sul-africana de East London, no mês passado.

O metanol foi encontrado em todos os corpos e as investigações prosseguem para determinar se os níveis do produto químico tóxico foram suficientes para os ter matado.

"O metanol foi detetado em todos os 21 indivíduos que lá se encontravam, mas ainda há uma análise progressiva dos níveis quantitativos de metanol e se este poderia ter sido a causa final da morte", disse Litha Matiwane, vice-diretor provincial do Cabo Oriental para o serviço clínico, numa conferência de imprensa hoje em East London.

As autoridades continuam à espera dos resultados conclusivos que estão a ser conduzidos num laboratório na Cidade do Cabo, acrescentou.

O metanol é uma forma tóxica de álcool que é utilizado industrialmente como solvente, pesticida ou uma fonte alternativa de combustível. Não é utilizado na produção de álcool vendido para consumo humano.

Ainda não se sabe como é que os jovens ingeriram o metanol.

O envenenamento alcoólico e a inalação de monóxido de carbono foram ambos descartados como possíveis causas de morte, embora tenham sido detetados vestígios de ambos nos corpos de todas as 21 vítimas, disse Matiwane.

Os adolescentes morreram no clube Enyobeni, no bairro de Scenery Park, em East London, nas primeiras horas do dia 26 de junho, um caso que chocou o país e resultando em várias investigações por parte da polícia e das autoridades de licenciamento de bebidas alcoólicas.

Muitos dos adolescentes foram encontrados mortos na discoteca, com os seus corpos espalhados por mesas e sofás, enquanto outros morreram depois de terem sido levados às instalações de saúde próximas.

A polícia da África do Sul será orientada pelos resultados finais da análise toxicológica para determinar se alguém irá enfrentar acusações criminais pelas 21 mortes, disse o responsável da polícia nacional, Bheki Cele.

O proprietário da discoteca e alguns empregados foram presos e estão atualmente sob custódia, enfrentando acusações relacionadas com a violação das leis do comércio de bebidas alcoólicas, incluindo a venda de bebidas alcoólicas a crianças.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG