Hackers ucranianos criam perfis falsos de mulheres atraentes para localizar soldados russos

Soldados russos divulgaram involuntariamente a sua localização. Dias depois, houve uma base militar ocupada que foi atacada.

Grupos de piratas informáticos ucranianos adotaram uma tática para localizar militares russos no mínimo inusitada. De acordo com o Financial Times, estes hackers criaram contas falsas nas redes sociais com fotos de mulheres atraentes e, com isso, soldados do regime do Kremlin enviaram fotografias, que conseguiram ser localizadas e, depois, transmitiram aos militares ucranianos.

Nikita Knysh, um profissional de telecomunicações de 30 anos de Kharkiv, disse ao Financial Times que quando a invasão da Rússia começou em fevereiro deste ano, queria usar as suas habilidades de hacking para ajudar o seu país. Recrutou outros piratas informáticos e fundou um grupo chamado Hackyourmom, que agora consiste em 30 hackers de todo o país.

Assim que os soldados enviaram fotografias, os hackers conseguiram identificar que tinham sido tiradas numa remota base militar russa perto de Melitopol, no sul da Ucrânia, ocupada. Transferiram a informação para os militares ucranianos e, vários dias depois, a base foi atacada.

"A primeira coisa que pensei foi: posso ajudar o meu país", explicou outro membro da equipa Hackyourmom, identificado apenas como Maxim. "Então percebi que quero mais disto, quero encontrar mais bases, uma e outra vez".

No início da invasão, o ministro digital da Ucrânia apelou aos civis com "talentos digitais" para se juntarem ao "exército informático" do país.

Durante as celebrações militares do Dia da Vitória da Rússia, em maio, os principais canais de televisão russos foram pirateados para mostrar mensagens antiguerra.

Knysh alegou que a sua equipa tinha estado envolvida noutros ataques, incluindo a fuga de bases de dados de mercenários russos e o ataque informático a estações de televisão russas para que passassem notícias de baixas civis ucranianas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG