Guiné-Bissau assume, pela primeira vez, presidência da CEDEAO

O primeiro-ministro, António Costa, destacou "a primeira vez que um líder de um país lusófono assume a presidência desta organização".

A Guiné-Bissau assumiu hoje, pela primeira vez, a presidência rotativa da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), informou, em comunicado divulgado à imprensa, a Presidência guineense. "A Guiné-Bissau acaba de fazer história. Pela primeira vez, pela mão de Sua Excelência o Presidente da República, general Umaro Sissoco Embaló, o nosso país conquista a presidência em exercício da CEDEAO", pode ler-se no comunicado.

A decisão foi tomada durante a cimeira de chefes de Estado e de Governo da CEDEAO, que decorreu hoje em Acra, no Gana. "A Guiné-Bissau consegue assim um feito inédito, graças à indiscutível magistratura de influência do Presidente da República. Desde a criação da CEDEAO em 1975, jamais um país lusófono presidiu esta organização", salienta o comunicado.

Além da Guiné-Bissau também Cabo Verde integra a CEDEAO. "O Presidente Umaro Sissoco Embaló terá agora em mãos os dossiês sobre a crise política na sub-região, sobretudo no Mali, Burkina Faso e Guiné-Conacri, mas também desafios da segurança, caso da vaga de terrorismos. Terá ainda por tarefa concluir a implementação das reformas em todas instituições da CEDEAO", acrescenta o comunicado.

O primeiro-ministro, António Costa, já felicitou o Presidente da República da Guiné-Bissau."Felicito calorosamente o Presidente da República da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, pela sua eleição como presidente da CEDEAO", afirmou António Costa, numa publicação na sua conta oficial da rede social Twitter.

O primeiro-ministro português destacou ainda que esta é "a primeira vez que um líder de um país lusófono assume a presidência desta organização".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG