Governo espanhol apresenta queixa de manifestação homofóbica e racista

Segundo vídeos divulgados, cerca de 200 manifestantes desfilaram sábado no centro de Madrid, gritando frases como "Maricas fora dos nossos bairros" e "Espanha cristã, não muçulmana".

O governo de Espanha disse que vai apresentar queixa à procuradoria após a realização de uma manifestação da extrema-direita no sábado, em Madrid, considerada homofóbica e racista.

"Daremos conhecimento à procuradoria do ódio anti-LGBT e racista da manifestação nazi de em Chueca", um bairro da capital espanhola importante para a comunidade homossexual, escreveu no sábado na rede social Twitter a ministra da Igualdade, Irene Montero, do Podemos (esquerda-radical).

Segundo vídeos divulgados por vários media espanhóis, cerca de 200 manifestantes desfilaram no sábado no centro de Madrid, gritando frases como "Maricas fora dos nossos bairros" e "Espanha cristã, não muçulmana".

A manifestação também foi condenada este domingo pela direita, nomeadamente pela adjunta da presidente da Câmara de Madrid Begoña Villacís (Ciudadanos) e pelo responsável da saúde na região da capital, Enrique Ruiz Escudero (Partido Popular).

A Espanha, na vanguarda das políticas de género na Europa, foi palco de uma onda de protestos em apoio à comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgénero) em julho, após a morte de um homossexual, Samuel Luiz, devido a um espancamento do noroeste do país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG