Freya, a morsa que atraiu multidões no fiorde de Oslo, foi eutanasiada

Autoridades norueguesas justificaram medida com "ameaça à segurança humana", mas especialistas criticam decisão "chocante"

Uma morsa apelidada de Freya, que atraiu multidões enquanto tomava banhos de sol no fiorde de Oslo, foi sacrificada neste domingo, com as autoridades da Noruega a justificar que era a única opção, mas a enfrentarem críticas de especialistas, que lamentaram uma decisão "infinitamente triste".

"A decisão de eutanásia foi tomada com base numa avaliação global da ameaça persistente à segurança humana", disse o chefe da Diretoria de Pesca da Noruega, Frank Bakke-Jensen, em comunicado.

"Examinámos cuidadosamente todas as soluções possíveis. Concluímos que não poderíamos garantir o bem-estar do animal por nenhum dos meios disponíveis", disse.

As autoridades norueguesas já haviam dito anteriormente que estavam a considerar a eutanásia porque os repetidos apelos ao público para manter distância da jovem morsa de 600 quilos foram em vão e o animal dava sinais de stress excessivo, tornando imprevisível o seu comportamento perante a presença humana.

Freya, cujo nome é uma referência à deusa nórdica da beleza e do amor, ganhou as manchetes dos jornais nórdicos desde 17 de julho, quando foi vista pela primeira vez nas águas da capital norueguesa.

As morsas normalmente vivem nas latitudes ainda mais ao norte do Ártico.

Entre longas sestas ao sol - uma morsa pode dormir até 20 horas por dia - Freya foi filmada a perseguir um pato, a atacar um cisne e, na maioria das vezes, a cochilar em barcos que tinham dificuldade em sustentar o seu corpo.

Apesar dos repetidos apelos, muitos curiosos continuavaam a aproximar-se do mamífero, às vezes com crianças a tiracolo, para tirar fotos.

"Incrivelmente triste"

Vários especialistas, no entanto, disseram que a decisão de sacrificar Freya não levou em conta o bem-estar do animal. Siri Martinsen, porta-voz do grupo de direitos dos animais NOAH, disse à TV2 que foi uma medida apressada e que multas deveriam ter sido emitidas para dispersar os espectadores.

"É muito chocante", acrescentou, dizendo que era uma oportunidade de mostrar às pessoas como respeitar os animais selvagens. "É infinitamente triste que eles tenham escolhido sacrificar um animal tão bonito simplesmente porque não nos comportamos bem com ele", disse o biólogo Rune Aae à agência de notícias NTB.

O Partido dos Verdes, no início desta semana, disse que especialistas recomendaram dar sedativos a Freya e levá-la para longe de áreas povoadas, ou levá-la de volta ao remoto arquipélago de Svalbard. Mas Bakke-Jensen disse que "não era uma opção viável" porque tal operação seria muito complexa.

Freya, com cerca de cinco anos de idade, já havia sido avistada no Reino Unido, Holanda, Dinamarca e Suécia e optou por passar parte do verão na Noruega.

A morsa é uma espécie protegida que se alimenta principalmente de invertebrados como moluscos, camarões, caranguejos e pequenos peixes.

As morsas normalmente não se comportam de forma agressiva em relação aos humanos, mas podem sentir-se ameaçadas por intrusos e ataques.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG