Forte sismo atinge Timor-Leste, seguido por réplicas

Tremor de magnitude 7,3 com epicentro a 121 quilómetros a nordeste da ilha de Timor.

Um sismo de 7,3 (magnitude ainda provisória) na escala de Richter atingiu esta tarde Timor-Leste (cerca das 03.25 da madrugada local, 18.25 em Portugal), segundo o USGS, agência sísimica norte-americana que monitoriza toda a atividade geológica no mundo.

Segundo a mesma fonte, o abalo teve origem numa falha a 166,9 km de profundidade. O epicentro deu-se a 121 km a nordeste da cidade de Lospalos, situada 248 km a leste de Dili.

O sismo foi já seguido por duas réplicas, no espaço de uma hora e meia, segundo os registos da USGS: uma de 4,9 na escala de Richter e outra de 4,6.

Não são ainda conhecidas consequências do terramoto, mas o DN sabe que o abalo foi pelo menos sentido em Darwin, a cidade australiana mais próxima de Timor, assim como em várias ilhas indonésias.

Segundo o Geoscience Austrália, mais de 1700 residentes na área de Darwin reportaram ter sentido o abalo.

Até ao momento, não há notícias de ter sido emitido qualquer aviso de tsunami na sequência do forte sismo.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos (United States Geological Survey - USGS) registou o sismo com o nível de alerta verde, o que aponta para baixa de probabilidade de mortes e de estragos.

O tremor de terra terá sido sentido como particularmente forte na zona oriental de Timor, mas a força do sismo pode ter sido temperada pela sua relativa grande profundidade, o que faz com que se sinta como mais fraco em termos absolutos.

A povoação mais próxima do epicentro do sismo, Lospalos, no município timorense de Lautém, tem uma população de 17.200 habitantes e a segunda maior cidade timorense, Baucau, com uma população na ordem dos 16.000 habitantes, encontra-se a 160 quilómetros.

A magnitude exata, epicentro e profundidade do terramoto poderá ser revista nas próximas horas, à medida que os sismólogos revejam os dados e aperfeiçoem os seus cálculos, e que outras agências emitam os respetivos relatórios.

(Em atualização)

* Com Lusa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG