Ex-governador de Nova Iorque acusado de crime sexual

Andrew Cuomo acusado de apalpar o seio de uma mulher em dezembro do ano passado

O ex-governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, foi esta quinta-feira acusado de abuso sexual, disse um porta-voz do tribunal.

A acusação é a primeira a ser apresentada desde que o político foi forçado a deixar o cargo no verão, após uma série de acusações de assédio sexual.

"Uma queixa de infração contra o ex-governador Andrew Cuomo foi apresentada no Tribunal da cidade de Albany", disse Lucian Chalfen, um porta-voz dos tribunais estaduais de Nova Iorque, descrevendo-o como um "crime sexual".

A queixa, apresentada pelo gabinete do xerife do condado de Albany em nome do estado de Nova Iorque, acusa Cuomo de colocar a mão na camisola da vítima e agarrar o seu seio esquerdo, em dezembro de 2020.

Andrew Cuomo, de 63 anos, renunciou em agosto depois de a procuradora-geral do estado, Letitia James, ter divulgado um relatório, que não era de natureza criminosa, em que se concluía que o agora ex-governador assediou sexualmente onze mulheres, incluindo ex-funcionárias.

"A partir do momento em que o meu escritório recebeu ordens para investigar as acusações de que o ex-governador Andrew Cuomo assediou sexualmente várias mulheres, procedemos sem medo ou favorecimento", disse James em comunicado.

"As acusações criminais apresentadas hoje contra o Sr. Cuomo por abuso sexual validam ainda mais as conclusões do nosso relatório", acrescentou.

Cuomo, que atingiu o auge da popularidade no início do ano passado devido às suas instruções diárias sobre a covid-19, negou veementemente as acusações e afirma estar a ser vítima de uma vingança política.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG