Erupção em La Palma provocou prejuízos de pelo menos 550 milhões de euros

Ángel Víctor Torres, presidente do arquipélago espanhol das Canárias. explicou que para que a ilha de La Palma tenha direito a receber fundos solidários da União Europeia (UE) é preciso que os danos causados sejam superiores a 1% do Produto Interno Bruto (PIB), cerca de 430 milhões euros.

A erupção do vulcão Cumbre Vieja na ilha de La Palma, que já dura há dois meses, provocou entre 550 e 700 milhões de euros de prejuízos, disse esta quinta-feira o presidente do arquipélago espanhol das Canárias.

Ángel Víctor Torres explicou que para que La Palma tenha direito a receber fundos solidários da União Europeia (UE) precisa de registar danos superiores a 1% do Produto Interno Bruto (PIB), cerca de 430 milhões euros.

Com danos estimados entre 550 e 700 milhões de euros, as ilhas Canárias poderão beneficiar, assim, desses recursos comunitários.

Durante uma intervenção por vídeo, realizada esta quinta-feira no âmbito da Conferência Anual das Regiões Ultraperiféricas (RUP) da UE, a decorrer nos Açores, Ángel Víctor Torres tentou demonstrar que a ilha de La Palma "precisa do máximo possível" dos fundos comunitários disponíveis.

Para o presidente do arquipélago espanhol, não é justo que o seu governo regional receba apenas 500 milhões de euros da UE, correspondendo ao montante global dos fundos a distribuir de acordo com os desastres naturais que ocorrem nos 27 países do bloco comunitário.

Neste contexto, disse Ángel Víctor Torres, o governo das Canárias apresentará uma proposta para tentar fazer com que La Palma receba "o máximo possível" das subvenções europeias para a reconstrução da ilha.

A erupção do vulcão Cumbre Vieja já causou a devastação de 866,1 hectares e a destruição de mais de 2.000 edifícios na ilha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG