Deslizamento de terras na Noruega. Ainda há 10 pessoas desaparecidas

Equipa de socorristas suecos ajuda nas operações de resgate. Cratera "engoliu" casas e desde quarta-feira que se procuram sobreviventes.

Uma equipa de socorristas suecos e cães de busca e salvamento noruegueses estão a ajudar no resgate de dez pessoas desaparecidas, após um desabamento de terra, na última quarta-feira, numa encosta em Ask, a 25 quilómetros a nordeste de Oslo, capital da Noruega, que provocou a derrocada de algumas casas.

A operação de resgate conta com a ajuda de helicópteros, tendo já sido resgatado um cão com vida. Na sexta-feira, os oito socorristas suecos e seus colegas noruegueses traçaram um plano de ajuda com a utilização de um veículo do exército que permite ter uma ponte gigante de aço na qual os socorristas podem se mover, segundo o jornal norueguês Aftenposten.

É uma corrida contra o tempo, já que as equipas de resgate têm poucas horas de luz no inverno norueguês. As baixas temperaturas (-1ºC) e o solo de argila instável também têm dificultado os trabalhos de emergência. Várias casas foram engolidas pela lama e, segundo o comandante da polícia Roy Alkvist, só uma ou duas casas parecem seguras.

Até agora, as equipas de resgate usaram drones e helicópteros com câmeras de calor para procurar sinais de vida sob os escombros. Mais de 30 casas foram destruídas, mas as autoridades dizem que mais podem estar destruídas, pois as bordas da cratera causadas pelo deslizamento de terra estão instáveis e podem ainda a ruir e, consequentemente, ainda podem causar mais danos.

O deslizamento de terra começou na manhã de quarta-feira, depois de dois fortes tremores de terra que levaram a um "deslizamento rápido da argila" provocando uma cratera com uma dimensão de 300 metros por 700 metros. "Este é o maior deslizamento de terra dos últimos tempos na Noruega, considerando o número de casas envolvidas e o número de desalojados", disse Laila Hoivik, porta-voz da Direção de Recursos Hídricos e Energia da Noruega.

A argila rápida é característica da Noruega e da Suécia e trata-se de um tipo de solo que pode colapsar e tornar-se fluida quando está sob tensão. As chuvas fortes podem ter tornado o solo instável, mas desde então surgiram dúvidas sobre a razão pela qual a construção tem sido permitida na área. Um levantamento geológico de 2005 classificou a área como de alto risco de deslizamentos de terra, de acordo com um relatório revelado pela emissora TV2. Apesar disso, as casas foram construídas três anos depois, em 2008.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG