Exclusivo De "herdeiros" de Genghis Khan a alvos. Porque é que os hazaras temem os talibãs?

São perseguidos há mais de um século pela maioria pastune e considerados "não-crentes" pelos talibãs por serem xiitas. Estátua de um dos seus líderes foi destruída. Amnistia denunciou um massacre.

Em março de 1995, os talibãs torturaram e mataram Abdul Ali Mazari, um líder político da minoria étnica hazara, que perseguiram quando chegaram ao poder. Na semana passada, dois dias depois de assumirem o controlo em Cabul e dizerem que não iriam discriminar aqueles que não partilham os seus pontos de vista religiosos, destruíram a sua estátua, na província de Bamiyan. Após duas décadas de esperança, os hazaras temem agora o regresso aos massacres, à opressão e à discriminação e são um dos grupos de maior risco no Afeganistão. Mas quem estes afegãos que acreditam serem descendentes do imperador mongol Genghis Khan?

Os hazaras são o terceiro maior grupo étnico no Afeganistão, depois da maioria pastune e dos tajiques, representando cerca de 10% da população. Têm duas características que os diferenciam. Em primeiro lugar, os seus traços físicos mongóis (apesar de também terem ascendência persa e turcomana). Os historiadores dizem que não serão descendentes de Genghis Khan, mas poderão ser do seu exército, que invadiu o território no início do século XIII (apesar de a primeira referência aos hazaras só surgir no século XVI). Em segundo lugar, são xiitas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG