Cunhado do rei de Espanha troca prisão por centro de reinserção

Iñaki Urdangarín foi condenado a cinco anos e dez meses de prisão por corrupção e ficará agora em semiliberdade, podendo trabalhar todos os dias da semana e voltar ao centro só para dormir. Um fim de semana por mês pode ir a casa.

O cunhado de Felipe VI, Iñaki Urdangarín, vai participar no novo programa de reinserção social para crimes económicos e trocará a prisão de Brieva (Ávila) por uma cela num centro de Alcalá de Henares (Madrid), onde ficará em regime de semiliberdade.

O marido da infanta Cristina, condenado a cinco anos e dez meses de prisão pelo escândalo de corrupção do caso Nóos, sairá diariamente do centro para trabalhar numa instituição para pessoas com deficiência, com a qual colabora há mais de um ano três vezes por semana. No final do dia, regressará ao centro para dormir. Num fim de semana por mês terá autorização para dormir em casa.

Segundo o jornal El País, ao abrigo do novo programa de reinserção, Urdangarín terá que participar no mínimo de 32 sessões em grupo -- uma por semana, de três horas cada. Nelas abordará, com um psicólogo, conceitos como autoestima, as emoções, o sistema de valores e a responsabilidade. O programa tem a duração prevista de dez ou onze meses e conclui com a participação do marido da infanta Cristina num encontro frente-a-frente com alguém que sofreu as consequências da sua atuação.

Este projeto, inovador a nível mundial, foi aprovado no final de novembro pelo sistema prisional espanhol e poderá envolver dois mil reclusos.

Condenado por prevaricação, fraude fiscal e tráfico de influências, iñaki Urdangarín entrou na prisão a 19 de junho de 2018, devendo concluir a pena a 9 de abril de 2024.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG