Corrida contra o tempo para encontrar menina de 4 anos desaparecida

Cleo Smith foi vista pela última vez às 01:30 de sábado numa tenda em Quobba Blowholes, onde estava a acampar com a família. No dia seguinte, a criança tinha desaparecido, juntamente com o seu saco-cama. "Sentimo-nos desesperados", disse a mãe.

Há quatro dias que a polícia australiana procura por Cleo Smith, de 4 anos. A criança foi vista pela última vez às 01:30 de sábado numa tenda em Quobba Blowholes, na Austrália ocidental, onde estava a acampar com a família.

No sábado de manhã, a mãe não a encontrou na tenda e o seu saco-cama também tinha desaparecido. Desde então, as autoridades desencadearam uma grande operação para encontrar a menina.

Têm sido dias "horríveis", contou esta terça-feira a mãe da criança, numa emocionada conferência de imprensa. "Todos perguntam o que precisamos e tudo o precisamos é da nossa menina em casa", afirmou Ellie Smith.

"A pior parte é que não podemos fazer mais nada. Está fora das nossas mãos e, por isso, sentimo-nos desesperados e fora de controlo", afirmou.

"Ela nunca iria sair da tenda", diz a mãe de Cleo Smith

Smith não acredita que a filha saísse da tenda sozinha e defende, por isso, que alguém deve saber do seu paradeiro.

"É preguiçosa quando se trata de andar. Ela não vai andar de bicicleta para muito longe", justificou. "Ela nunca nos iria deixar. Ela nunca iria sair da tenda. Temos esperança de que esteja aqui [perto do acampamento] porque se eu pensar que ela foi levada... um milhão de outras coisas passam pela nossa cabeça", disse Ellie Smith, citada pelo The Guardian.

A mãe da criança apelou à ajuda de todos os que possam ter informações, por mais insignificantes que sejam.

"Nós queremos a nossa menina em casa. Vemos as dunas de areia e pensamos que ela vai descer a correr para os nossos braços, mas ainda estamos à espera", disse Ellie Smith.

As autoridades não avançam com o que pode ter acontecido a Cleo Smith, mas todas as as linhas de investigação estão em aberto.

O inspetor regional, Jon Munday, afirmou que as autoridades não descartam a hipótese de a menina ter sido "levada e retirada da área".

"Uma corrida contra o tempo"

Em declarações à estação de televisão TV Sunrise, Munday afirmou que estavam "muitas pessoas" no acampamento na altura em que a criança desapareceu. A polícia está, por isso, a investigar todos os que estavam no local na sexta-feira à noite.

As autoridades aproveitaram as redes sociais para divulgar a foto da criança, assim como do saco-cama vermelho e preto, e apelar à participação de todos os que possam ajudar na investigação.

Para ajudar a polícia local, investigadores forenses e de crimes graves participam nesta operação, que conta com o recurso a helicópteros, drones e imagens de câmaras de vigilância para encontrar a menina.

É "uma corrida contra o tempo", admitiu o inspetor Munday, em entrevista à rádio 6PR de Perth, referindo que o "pior cenário" é a possibilidade de se tratar de um rapto. "Estamos apenas a tentar encontrar respostas."

As buscas já tiveram de ser interrompidas devido ao mau tempo, tendo, no entanto, já sido retomadas.

A família de Cleo Smith chegou ao acampamento de Blowholes, na costa noroeste da Austrália Ocidental, a cerca de 900 quilómetros de Perth, no final da tarde de sexta-feira. Cleo terá ido para a cama por volta das 20:00, depois de jantar, antes do resto da família, contou a mãe.

Por volta da 01:30 de sábado, a criança acordou para pedir água e foi a última vez que a mãe a viu. Ellie Smith lembrou que depois de lhe dar água foi ver como estava a outra filha, Isla, e que voltou a dormir.

Quando acordou para dar biberão a Isla, foi à outra divisão da tenda e reparou que o fecho estava aberto. Cleo Smith não estava lá.

"A tenda estava totalmente aberta", disse Ellie Smith. Contou que cresceu naquela região e que começou a procurar a menina nos locais onde ia quando era criança, mas sem sucesso.

"Nós crescemos aqui e procuramos em todos os locais onde íamos quando éramos crianças e não conseguimos encontrá-la. Percebemos que tínhamos de chamar a polícia porque ela não estava aqui", relatou a mãe de Cleo

No momento do desaparecimento, a menina usava um pijama rosa com um padrão azul e amarelo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG