Caso Alec Baldwin. Assistente de realização tinha sido alvo de queixas

A investigação ao que aconteceu no set de filmagens de "Rust", em que o ator Alec Baldwin matou acidentalmente a tiro a diretora de fotografia e feriu o realizador, está centrada no assistente de realização, Dave Halls, e na responsável pela arma, Hannah Gutiérrez-Reed.

Queixas sobre questões de segurança e de comportamento no set de filmagens em duas produções de 2019 foram feitas a Dave Halls, o assistente de realização do filme "Rust". Foi a pessoa que entregou a arma de adereço a Alec Baldwin, referindo que era segura, uma vez que não tinha munição real. Mas a arma estava carregada e o ator matou acidentalmente a tiro a diretora de fotografia e feriu o realizador.

Os trágicos acontecimentos decorreram no rancho de Bonanza Creek, onde estavam a ser filmadas várias cenas do 'western', do qual Baldwin era produtor e protagonista. A investigação ao que aconteceu está centrada em Halls e na especialista responsável pela arma, noticiou a AFP.

À CNN, duas pessoas que trabalharam com Dave Halls queixaram-se de desrespeito pelos protocolos de segurança para o uso de armas e pirotecnia e de comportamento sexual impróprio no local de trabalho.

Refira-se que, na passada quinta-feira, segundo os registos da investigação a que a AP teve acesso, no momento em que equipa de filmagem se preparava para ensaiar uma cena, o assistente de realização Dave Halls foi buscar uma arma de adereço que entregou a Alec Baldwin gritando a expressão 'cold gun', o que significa que era seguro usar a arma, por não estar carregada com munições verdadeiras.

Quando Baldwin premiu o gatilho atingiu fatalmente a diretora de fotografia e feriu o realizador. A arma disparada era uma de três colocadas num carrinho de adereços, de onde foi retirada por Halls, que a entregou a Baldwin sem saber que estava carregada com cartuchos verdadeiros, segundo os registos da investigação.

Fabricante de adereços e licenciada em pirotecnia, Maggie Goll, do sindicato dos trabalhadores da indústria do entertenimento IATSE (Aliança Internacional de Teatro e Funcionários de Palco)​​​​​​, disse à CNN que quando trabalhou na série "Into the Dark", em fevereiro e maio de 2019, constatou que Dave Halls desrespeitou questões de segurança.

Numa declaração escrita enviada à estação de TV, Goll afirmou que o assistente de realização negligenciou a realização de reuniões de segurança e falhou sempre quando se tratava de anunciar à equipa de filmagens a presença de uma arma de fogo no set, como estabelece o protocolo.

"A única razão pela qual a equipa foi informada da presença de uma arma foi porque o assistente do responsável de adereços exigia que Dave reconhecesse e anunciasse a situação todos os dias", refere Maggie Goll no comunicado. Referiu ainda que Halls era constantemente chamado à atenção pela pessoa responsável pelos adereços.

Outra pessoa que trabalhou com o assistente de realização afirmou que quando Dave Halls fazia reuniões, estas demoravam pouco tempo. Dizia que ele minimizava as questões de segurança, dizendo que as armas usadas seriam as mesmas que a produção, questionando a razão pela qual teriam de fazer as reuniões sobre a segurança no set de filmagens

"Não sabemos se serão feitas acusações", disse procuradora na sexta-feira

Escreve a CNN que Goll e outro elemento da equipa de filmagens revelaram que, numa outra situação, Halls insistiu em continuar a filmar quando uma tempestade atingiu o local de filmagens, com cabos elétricos a tocar na lama, fios expostos à chuva e membros da equipa a temer pela sua segurança.

A especialista afirmou que apresentou, a título pessoal, reclamações junto dos produtores executivos da Blumhouse Productions, e que informou ainda o sindicato dos realizadores, o Directors Guild of America, sobre o sentimento de insegurança das pessoas. Tanto quanto sabe, nada foi feito.

Dave Halls não respondeu à estação de televisão sobre as acusações que lhe são dirigidas por Maggie Goll.

A agência de notícias AFP escreveu no domingo que a investigação está centrada no papel de Hannah Gutierrez, a especialista que tinha a responsabilidade de preparar as armas para serem usadas no filme, e em Dave Halls.

A arma usada e outras duas foram fornecidas por Hannah Gutiérrez-Reed, de 24 anos, filha de Thell Reed, armeiro da indústria cinematográfica. Num podcast em setembro, a jovem Gutiérrez-Reed disse que sentia uma certa inquietação por assumir o papel de armeiro principal pela primeira vez, no filme anterior em que trabalhou, "The Old Way".

"Estava muito nervosa a princípio e quase não aceitei o trabalho porque não estava certa de estar preparada", disse no podcast "Vozes do Oeste", antes de acrescentar: "Mas ao fazê-lo, tudo ocorreu muito bem".

A procuradora Mary Carmack-Altwies declarou num comunicado na sexta-feira que o caso está na etapa preliminar e acrescentou: "Neste momento, não sabemos se serão feitas acusações".

"Super inseguro"

O jornal Los Angeles Times, citando fontes anónimas, noticiou que pelo menos três falhas ocorreram com a pistola cenográfica antes do acidente mortal e que alguns membros da equipa tinham protestado contra as condições de trabalho.

O jornal noticiou que pelo menos um operador de câmara tinha enviado uma mensagem a um diretor de produção, dizendo: "Já ocorreram três disparos acidentais. Isto é super inseguro".

A Rust Movie Productions informou num comunicado que não tinha conhecimento de nenhuma "queixa oficial", mas que "continuaria a cooperar com as autoridades de Santa Fé". A produtora também informou que está a realizar um inquérito interno.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG