Candidato a governador do Michigan é preso devido ao ataque ao Capitólio

O FBI prendeu nesta quinta-feira o principal candidato republicano a governador do Michigan, acusado de ter participado, em janeiro de 2021, da invasão ao Capitólio dos Estados Unidos por apoiantes do então presidente, Donald Trump.

Segundo o Departamento de Justiça, Ryan Kelley, de 40 anos, participou no violento ataque ao Capitólio, que visava a impedir a certificação da vitória do democrata Joe Biden sobre Trump nas eleições presidenciais de novembro de 2020.

Membro da Comissão de Planeamento da cidade de Allendale, no Michigan, e fundador do Conselho Patriota dos Estados Unidos, de extrema direita, Kelley foi acusado de entrar ilegalmente no Capitólio e participar em atos de violência contra a propriedade.

Uma declaração apresentada ao tribunal federal de Washington detalha a participação de Kelley nos distúrbios de 6 de janeiro, através de informações publicadas nas redes sociais e também de registos telefónicos. Nalguns momentos, o republicano chegou a pedir à multidão que entrasse no Capitólio.

Kelley foi preso na sua residência, em Allendale, na madrugada desta quinta-feira, segundo o FBI. Os motivos que levaram à sua prisão quase um ano e meio após os factos não estão claros.

Agente imobiliário e ligado a uma milícia local que protestou contra a remoção de estátuas de generais confederados e as restrições anti-Covid, Kelley entrou na corrida para se tornar governador do Michigan.

Em sondagem divulgada no fim de maio, após a invalidação de outras candidaturas, Kelley liderava as intenções de voto para as primárias republicanas de 2 de agosto.

Na página de Kelley no Facebook, surgiu uma declaração de duas palavras: "preso político". O político faz agora parte das mais de 840 pessoas presas por participação no ataque à sede do Congresso americano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG