Ativistas atiram sopa sobre pintura de Van Gogh exibida em Roma

Este é mais um ataque de ativistas climáticos a pinturas de Van Gogh e Monet - usando sopa, bolo ou puré de batata - na Europa nas últimas semanas.

Um grupo de ambientalistas atirou sopa, esta sexta-feira, a um quadro de Vincent van Gogh exposto num museu de Roma, sem o danificar, como gesto de protesto contra a passividade da comunidade internacional em relação às alterações climáticas.

"The Sower", uma obra de 1888 do artista holandês que representa um agricultor que semeia as suas terras sob o sol poente, foi protegida por vidro, o que a impediu de sofrer danos durante o ataque, segundo fontes oficiais.

"O meu nome é Laura e decidi juntar-me às diferentes séries de ações que hoje em dia se realizam em diferentes países, porque estou plenamente consciente de que ninguém, e de forma alguma, está a assumir a responsabilidade pela catástrofe ambiental que estamos a viver", justificou um dos três jovens ativistas envolvidos na ação. Eles fazem parte do movimento "Last Generation" (Última geração).

O grupo anunciou "mais ações não violentas" em todo o mundo até que os cidadãos obtenham respostas dos seus governos aos apelos para deixarem de utilizar gás e carvão e investirem (para gerar) pelo menos 20 GW de energia renovável", escreveram numa declaração divulgada posteriormente.

"Trata-se de uma ação infame que deve ser detida e condenada", reagiu o novo Ministro da Cultura italiano, Gennaro Sangiuliano, avisando que se tratam de ações passíveis de punição criminal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG