Von der Leyen considera fugas nos gasodutos Nord Stream "ato de sabotagem"

Presidente da Comissão Europeia prometeu "investigar os incidentes" e "respostas mais forte possível" do bloco comunitário a "qualquer interrupção deliberada da infraestrutura energética europeia".

DN/AFP
© EPA/SERGEY DOLZHENKO

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse esta terça-feira que as fugas nos gasodutos Nord Stream, no Mar Báltico, foram um "ato de sabotagem".

"Qualquer interrupção deliberada da infraestrutura energética europeia ativa é inaceitável e levará à resposta mais forte possível", escreveu no Twitter, acrescentando que é "importante agora investigar os incidentes" e chegar a conclusões claras.

Um instituto sísmico sueco anunciou esta terça-feira que a Suécia detetou duas explosões submarinas, "muito provavelmente devido a detonações", perto dos locais onde foram detetadas fugas nos gasodutos que transportam gás russo para a Europa.

As autoridades dinamarquesas e suecas detetaram fugas no gasoduto Nord Stream 1, que a Rússia encerrou no início de setembro, e no gasoduto Nord Stream 2, que nunca foi posto em funcionamento, devido à falta de autorização da Alemanha, na sequência da invasão russa da Ucrânia, a 24 de fevereiro.

Apesar de não estarem operacionais, os dois gasodutos operados por um consórcio da gigante russa Gazprom estavam cheios de gás.

A Ucrânia acusou esta terça-feira a Rússia de responsabilidade pelas fugas nos gasodutos, denunciando um "ataque terrorista" contra a União Europeia.

"A fuga de gás em grande escala do Nord Stream 1 não é mais do que um ataque terrorista planeado pela Rússia e um ato de agressão contra a União Europeia", disse o conselheiro presidencial ucraniano Mykhailo Podoliak no Twitter, citado pela agência de notícias francesa AFP.