Rússia entra em incumprimento pela 1.ª vez em 100 anos, informa a Bloomberg. Kremlin nega

"É um sinal sombrio da rápida conversão da Rússia num pária económico, financeiro e político", refere a Bloomberg. O Kremlin, no entanto, nega situação de "default".

DN/Lusa
O presidente da Rússia, Vladimir Putin© EPA/MIKHAIL METZEL / KREMLIN

A Rússia entrou em incumprimento pela primeira vez em 100 anos, uma vez que o período de carência para o pagamento de quase 100 milhões de dólares em juros sobre a sua dívida soberana expirou, informou esta segunda-feira a Bloomberg.

O período de tolerância de 30 dias para os credores da Rússia receberem o pagamento expirou no domingo.

Segundo a Bloomberg, esta situação é considerada um evento de suspensão de pagamentos e é o "culminar das sanções ocidentais cada vez mais severas (contra a Rússia pela sua "operação militar especial" na Ucrânia) que têm bloqueado os canais de pagamento aos credores estrangeiros".

"É um sinal sombrio da rápida conversão do país (Rússia) num pária económico, financeiro e político", disse a agência.

Kremlin rejeita incumprimento do pagamento da dívida

O porta-voz do Kremlin rejeita as acusações de que a Rússia não efetuou um pagamento da sua dívida externa e que o país esteja em incumprimento.

Dmitry Peskov, citado pela Reuters, afirmou que a Rússia fez pagamentos de títulos com vencimento em maio, mas que foram bloqueados devido às sanções ocidentais. Considera, por isso, que este não se trata de um problema da Rússia.