Palácio em Roma com o único mural conhecido de Caravaggio foi a leilão mas não teve ofertas

Leilão da Villa de Autora teve um preço base de 353 milhões de euros, embora os especialistas considerem que esta propriedade em Roma tem um valor "incalculável".

DN/Lusa
Representação dos deuses Júpiter, Neptuno e Plutão por Michelangelo Merisi Caravaggio© EPA/RICCARDO ANTIMIANI

O palácio com o único mural conhecido de Caravaggio foi a leilão esta terça-feira, por ordem judicial, com um preço base de 353 milhões de euros, embora os especialistas considerem que esta propriedade em Roma tem um valor "incalculável".

Porém, o leilão da Villa de Aurora, que tem despertado a atenção do mercado nacional e internacional, terminou sem que qualquer oferta fosse feita.

Residência histórica da família Ludovisi, berço de cardeais e até de dois papas ao longo da história, um juiz determinou o seu leilão porque os herdeiros do último proprietário, Nicolò Boncompagni Ludovisi, que morreu em 2018, foram incapazes de o mantê-lo e têm de saldar uma dívida fiscal.

O palácio, com seis andares e rodeado por um grande jardim, é considerado um tesouro porque no teto de uma das suas salas está o único mural conhecido do conceituado pintor italiano Michelangelo Merisi Caravaggio (1571-1610), a representação dos deuses Júpiter, Neptuno e Plutão.

Além desta famosa pintura, o edifício tem também inúmeras peças de arte, como a alegoria da Aurora, obra de Guercino, expoente do barroco romano, além de outras pinturas como de Dominichino , Paul Bril ou Giambattista Viola.

Atualmente mora no palácio a atriz norte-americana Rita Jenrette, viúva do aristocrata Nicolò Boncompagni Ludovisi.

Um juiz fixou o preço inicial em 353 milhões de euros, embora um especialista o tenha elevado para 471 milhões de euros, enquanto historiadores referem que o valor é "incalculável".

Nos dias anteriores ao leião, foi lançada uma campanha para que o Estado italiano assuma este palácio, devido ao alto valor histórico e cultural.

Segundo a legislação, o Estado apenas pode exercer o direito de preferência no prazo de 60 dias após a aquisição do imóvel por um particular e por um valor superior.

Até ao momento o Governo italiano ainda não admitiu esta hipótese, em parte porque não quis interferir com o leilão, embora fontes do Ministério da Cultura realcem que o valor inicial equivale a um quinto do orçamento anual desta pasta.

Há quinze anos, o fundador da Microsoft, Bill Gates, ofereceu cerca de 200 milhões de euros para a sua aquisição, revelou à agência EFE uma das herdeira.