Lavrov acusa Ocidente de "russofobia grotesca"

Ministro das Relações Exteriores da Rússia acusou ainda os EUA de quererem destruir Moscovo e transformar o mundo num quintal norte-americano.

DN
O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov© EPA/ALEXANDER ZEMLIANICHENKO

Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, criticou duramente as nações ocidentais pela postura na guerra na Ucrânia. Este sábado, num inflamado discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, o chefe da diplomacia russa acusou os EUA e os seus aliados de tentarem "destruir" a Rússia.

"A russofobia oficial no Ocidente não tem precedentes. É grotesca. Eles não se esquivam na intenção de infligir, não apenas a derrota militar ao nosso país, mas também destruir e fraturar a Rússia", disse Lavrov, apontando a Washington, a quem acusou de querer impor a Doutrina Monroe e "tentar transformar o mundo inteiro no seu próprio quintal".

"Declarando-se vitorioso na Guerra Fria, Washington ergueu-se quase como um enviado de Deus na Terra, sem nenhuma obrigação além do direito sagrado de agir com impunidade onde e onde quiser", acusou o russo, defendendo depois os referendos, em partes da Ucrânia ocupadas pelos russos, descrevendo estes como pessoas que reivindicam terras "onde seus ancestrais vivem há centenas de anos".

O presidente dos EUA, Joe Biden, e outros líderes ocidentais garantiram nunca aceitar os resultados dos "falsos" referendos, vendo-os como parte de um esforço para mudar as fronteiras pelo uso da força.